Aprovada Reforma Administrativa



Com 11 votos a favor e nenhum contrário, foi aprovada na sessão plená

Com 11 votos a favor e nenhum contrário, foi aprovada na sessão plenária de ontem o projeto de lei complementar do Executivo 001/07, que dispõe da reforma administrativa. O texto final, analisado pelos parlamentares por três semanas, passou por ajustes antes da votação. Alguns vereadores fizeram ressalvas ao novo modelo de gestão proposto. Entretanto, de modo geral, a matéria foi recebida com expectativa positiva pela Câmara. A filiação, ainda não formalizada, do prefeito Riverton Mussi ao PMDB e o ingresso do PT ao governo municipal, também foram comentados. A adesão do prefeito à sigla será acompanhada pelo líder da bancada do governo, Paulo Antunes, e pelo vice-presidente da Câmara, George Jardim.

Pedro Reis (PSDB) não esteve presente a votação porque se encontra em Brasília, onde participará hoje, e até o dia 9, do  5º Congresso Triológico de Otorrinolaringologia. Paulo Antunes pediu ao parlamento municipal a aprovação da reforma que considerou muito debatida pelos secretários municipais e pela Câmara. Ele justificou que a intenção do PLCE 001/07 é enxugar a administração pública e diminuir a burocracia. Disse ainda que o processo será feito devagar e com cautela. “Talvez tenhamos que fazer algumas emendas futuras, mas tentamos acertar ao máximo”, observou. Os vereadores Luiz Fernando Pessanha (sem partido) e Maria Helena Salles (PSDB) fizeram ressalvas ao projeto com discursos em tom cordial.

Ratificando que todos os parlamentares participaram da discussão sobre o texto encaminhado pelo Executivo e apresentaram sugestões às comissões de Justiça e Redação e de Finanças e Orçamento e a Procuradoria do Município, Luiz Fernando afirmou que nem todos foram atendidos em suas indicações. “Entendo que o prefeito queira reestruturar sua administração para que ela venha a ser mais ágil. Ele pretende desburocratizar. Mas isso não significa que vai enxugar a máquina pública e que trará economia”, questionou.

Maria Helena Salles (PSDB) disse que está preocupada com alguns pontos da proposta do governo. “Daqui para frente a avaliação será feita a partir do que era e do que vai ser”, destacou. O relator da Comissão Permanente de Justiça e Redação, Maxwell Vaz (PT), que realizou uma análise criteriosa do novo padrão administrativo e de sua formatação legal, ressaltou: “Votamos hoje não apenas um projeto de lei, mas uma expectativa de melhoria”.

A líder da bancada do PT, Marilena Garcia, partido que a partir da próxima semana dividirá responsabilidades com a administração municipal, explicou e defendeu a proposta do governo. “Desde que assumi sempre disse que o modelo de gestão do município estava errado”, destacou a vereadora que corroborou com a sugestão da executiva nacional do partido de que haja colaboração no âmbito municipal com base de coligação partidária do governo federal. Apesar de confirmada a aliança, ela afirmou que o PT aponta para uma candidatura própria para as próximas eleições. Marilena explicou que o modelo da reforma é muito utilizado por empresas privadas. O PLCE 001/07 estabelece 12 secretários especiais que terão a responsabilidade de incentivar os secretários executivos e que despacharão com o prefeito. “Eles têm o compromisso assumido de não serem candidatos a nada. Estamos conseguindo congregar valores e lideranças para que esse modelo dê certo”, disse.

Foram aprovadas com destaque nessa sessão, também as indicações: 460/07, 464/07 e 466/07 de autoria de Júlio César de Barros (sem partido). A primeira, que propõe a instalação de uma academia popular na Praça Santos Dumond, Miramar, se insere em um projeto de reestruturação do bairro. A 464/07 trata da colocação de redutores de velocidade no entorno das escolas das redes pública e particular do município. A 466/07 dispõe de convênio entre Prefeitura e Governo do Estado com o objetivo de melhorar o atendimento no Instituto Médico Legal-IML. A formação de uma Comissão Parlamentar Especial-CPE para tratar dessa problemática ficará a cargo do presidente da Câmara, Eduardo Cardoso (PPS).

Clique aqui e veja a fala dos vereadores inscritos no grande expediente.

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support