Audiência pública discute volta da Expo Macaé

A Câmara Municipal de Macaé realizou, na noite desta quarta-feira (31), uma audiência pública para discutir as possibilidades de reativação da Expo Macaé, que há três anos não se realiza. O evento foi solicitado e presidido pelo vereador Maxwell Vaz (SD), e contou com a presença de Valdemir da Silva Souza (PHS), o Val Barbeiro.

“Trata-se de um movimento para suprir a demanda reprimida de resgatar esse evento tradicional comemorativo do aniversário da cidade”, explicou Maxwell.

Participou do encontro o presidente da Associação de Músicos de Macaé e Norte Fluminense (Uman), Max Badauê. “Há poucos anos, a Expo Macaé recebia uma etapa do circuito nacional de rodeio e tinha parceria até com a rede Globo. É preciso buscar fontes de renda para os artistas locais. Com a exposição, poderíamos gerar até 1.500 empregos diretos”, disse o artista.

Segundo ele, Macaé tem profissionais de alto nível artístico que despontam até em cenário nacional, e não se deve apenas atribuir as dificuldades da categoria à crise econômica. “Precisamos trazer de volta o espírito de quando a Expo Macaé nasceu, na antiga destilaria, na época do prefeito Alcides Ramos”, recordou.

Max também relatou que cidades como Quissamã, Carapebus e Conceição de Macabú têm investido em programações de formato simples que apostam em artistas locais. “Macaé não é somente a região central e os Cavaleiros. Nesses lugares, são realizados eventos com atrações de fora, mas não podemos esquecer do Lagomar, da Nova Holanda e das Malvinas, por exemplo. Há muitos profissionais nesses bairros que precisam de oportunidades”.


Valorizar o pequeno empreendedor

O ex-controlador da Câmara, da prefeitura e servidor aposentado Widelmo Natalino defendeu o fortalecimento dos expositores locais. “Se a cidade contar apenas com a volta dos bons tempos do petróleo, não sairá da crise. É preciso tratar com carinho o pequeno empreendedor”, afirmou.

“São oportunidades até para alguém que comprou um carrinho de pipoca para sustentar a família”, acrescentou Maxwell. “As soluções não acontecem quando se tem dinheiro, mas quando se tem solidariedade e vontade de fazer”, contribuiu Val Barbeiro.

Entre as ideias propostas na audiência para a volta da Expo Macaé, está a criação de um fórum com entidades como a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), a Associação Comercial e Industrial de Macaé (Acim), além da participação de pequenos empresários. Também foi sugerida a criação de um festival de inverno na Região Serrana para fomentar o turismo nos distritos.

Na conclusão, Maxwell lamentou a ausência do secretário de Turismo, Alex de Moraes Figueiredo.

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta