Audiência pública discutirá esgoto



Questões relativas ao esgoto sanitário e industrial de Macaé ser&atil

Questões relativas ao esgoto sanitário e industrial de Macaé serão tratadas na audiência pública marcada para a segunda-feira da próxima semana, dia 4 de junho. O evento acontecerá no plenário da Câmara, a partir das 19h, e contará com apresentações realizadas por professores do Núcleo de Pesquisas Ecológicas de Macaé-Nupem do Instituto de Biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ, do Centro Federal de Educação Tecnológica-Cefet, unidade Macaé, e também por membros da organização não governamental Eco Cidadão.

A audiência, proposta pelo primeiro-secretário, Maxwell Vaz (PT), pretende discutir os impactos causados pelo lançamento de esgoto in natura no meio ambiente, a necessidade da construção de estações de tratamento de esgoto-Ete e a aplicação feita pelo poder público municipal do tributo referente à taxa de esgoto, recolhida por meio do carnê de IPTU .

Foram convidados para a audiência representantes de entidades ambientais do Estado e do Município, de órgãos municipais, de associações de moradores de bairros e de faculdades. O Legislativo pretende discutir, com os demais poderes e com a sociedade civil, soluções para os danos ambientais e para a saúde pública causados pela carência de tratamento de esgoto sanitário e industrial no município. Muitas proposições foram aprovadas pela Câmara referentes a esse tema, com o objetivo de beneficiar localidades como a Vila badejo, o Engenho da Praia, o Parque Aeroporto e a Virgem Santa, além da Lagoa de Imboassica, que sofrem com a falta ou ineficiência desse serviço. Segundo Vaz, constam do orçamento municipal de 2007 emendas elaboradas com o intuito de atender essa demanda. 
“Os macaenses pagam um tributo referente a um trabalho que não é realizado no município: O tratamento de esgoto. Não é justo pagarmos por um serviço que não é oferecido”, argumentou o vereador que decidiu, através de requerimento, cobrar também do município a aceleração na construção das estações de tratamento de esgoto. Para Maxwell Vaz, a questão deve ser tratada de forma emergencial pelo Executivo, visto a gravidade dos danos ambientais que tem provocado, como o comprometimento de toda a Bacia do Rio Macaé.

 

Deixe uma resposta