Balneabilidade da Lagoa de Imboassica é questionada em plenário



 <span style="font-family:arial,helvetica,sans-serif;"><span style="font-size:14px;">Câmara solicitará informações de esgoto lançado sem tratamento</span></span>

A balneabilidade da Lagoa de Imboassica para a prática de esportes e lazer foi questionada pelo vereador Maxwell Vaz (SD) nesta quarta-feira (18), na Câmara Municipal de Macaé. Ele teve aprovado, por unanimidade, um requerimento solicitando à Empresa Municipal de Saneamento (Esane) informações sobre as obras para deter o lançamento de esgoto sem tratamento na lagoa, proveniente de bairros próximos.

 &nbsp;

Maxwell pede o cronograma da Odebrecht Ambiental para a realização das obras a serem realizadas no local de despejo, próximo aos condomínios Morada das Garças e Vivendas da Lagoa. “Queremos saber, também, que outras medidas estão sendo tomadas para evitar esse problema, já que foi retirado o tratamento de biorremediação implantado em 2010”, disse ele.

 &nbsp;

O tratamento envolve colocação de plantas gigogas que filtram as águas reduzindo o impacto poluente do esgoto. “A prefeitura faz publicidade dando a entender que a Lagoa está própria para atividades, mas isso não é verdade”. Ele mencionou ter laudos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), comprovando que não foi atingida a despoluição.

 

Barragem Macabu: Câmara solicitará cronograma de manutenção

 

No decorrer da sessão, o plenário ainda aprovou o Requerimento 651/2015, de autoria de Manoel Francisco (sem partido), o Manoel das Malvinas, que solicitará da Quanta Geração S/A informações acerca do cronograma de manutenção da barragem Macabu, localizada na Tapera, distrito da Região Serrana. A proposição ainda pedirá relatório do plano de emergência da empresa.

&nbsp;

De acordo com Manoel e Maxwell Vaz, é preciso assegurar que a barragem esteja com manutenção em dia, por se tratar de uma obra antiga e que demanda cuidados redobrados. “Queremos nos assegurar que a empresa responsável está adotando todos os procedimentos de segurança necessários, principalmente depois do desastre ambiental que aconteceu em Minas Gerais”, alertou Manoel.

 &nbsp;

 

Jornalistas: Marcello Riella Benites e Júnior Barbosa

Deixe uma resposta