Biênio legislativo teve início ontem



Aconteceu ontem, das 18h às 21h40, a primeira sessão extraordinária d

Aconteceu ontem, das 18h às 21h40, a primeira sessão extraordinária da Câmara de vereadores, em 2007. O prefeito Riverton Mussi (sem partido), mais uma vez compareceu a abertura dos trabalhos legislativos e apresentou um relatório de ações do ano anterior e seus projetos para o biênio. Na oportunidade, o presidente da casa, Eduardo Cardoso (PPS) entregou ao prefeito um manifesto pela paz elaborado por setores da sociedade civil organizada.

O presidente da Câmara interrompeu a sessão extraordinária por cinco minutos para uma última discussão entre os vereadores sobre os nomes indicados para compor as comissões permanentes. Ele explicou que o critério utilizado foi a representatividade partidária e a subtração dos que integram a mesa diretora. As indicações foram aprovadas por unanimidade. Irão presidir as seis comissões: Chico Machado (sem partido), Paulo Antunes (sem partido), Júlio César de Barros (sem partido), Pedro Reis (PSDB), Paulo Paes (PSDB) e Maira Helena Salles (PSDB).

Durante a sessão, a pedido da segunda secretária, Marilena Garcia (PT), todos os presentes: vereadores, membros da comunidade, secretários, coordenadores e responsáveis por diversos órgãos municipais, fizeram um minuto de silêncio por João Hélio, de 6 anos, cruelmente assassinado no Rio de Janeiro. Ela sugeriu que a Câmara preparasse uma moção de apoio à Associação de Vítimas da Violência no Brasil.

Após o término da sessão extraordinária teve início a primeira sessão ordinária que aprovou, com nove votos favoráveis e nenhum contrário, dois projetos de lei encaminhados pelo executivo. Os documentos se referiam à autorização para convocar mais 500 professores aprovados no último concurso público para a Secretaria de Educação e para que o prefeito se ausentasse, por motivo de viagem a Portugal e Espanha, de 10 a 25 de março.

Foram temas principais do grande expediente: críticas ao sistema de transporte público do município, ao abastecimento de água, à falta de segurança pública, à política de pesca, às condições das estradas da região serrana e a violência no trânsito. Alguns vereadores se posicionaram sobre a redução da maioridade penal.

Durante seu pronunciamento, Riverton Mussi divulgou que a reforma administrativa será em breve encaminhada ao legislativo para análise e votação e deverá ser implantada a partir de março. O prefeito declarou "Estou em briga com a Cedae (Companhia Estadual de Água e Esgoto)". Ele disse que está buscando fundamentos que determinem que o município tenha condições de assumir o serviço de água de maneira eficiente. Uma nova audiência pública será marcada. "Se a prefeitura firmar nova parceria com a Cedae, será nos termos em que nós ditarmos", ressaltou.

Deixe uma resposta