Câmara comemora Dia Internacional da Mulher

A Câmara de Vereadores de Macaé realizará hoje, às 19h, uma ses

A Câmara de Vereadores de Macaé realizará hoje, às 19h, uma sessão solene comemorativa do Dia Internacional da Mulher. Cada um dos doze vereadores indicará um homenageada. Elas irão representar as cidadãs que tanto contribuíram para o desenvolvimento do município. A data pretende chamar a atenção para o papel social e a dignidade da mulher, além de contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos a elas.

O vereador Chico Machado (PPS) indicou Venina Ribeiro de Souza; Eduardo Cardoso (PPS), Maria Emília Mouze Aguiar; Jorge de Jesus (PRB), Lúcia Regina Pereira de Almeida; Júlio César de Barros (sem partido) homenageará Isabel Cristina Cesarino; Luiz Fernando Pessanha (sem partido) Margarida Mussi Ramos; Maria Helena Salles (PSDB) indicou Ana Maria Pinto; Marilena Garcia (PT), Gilma Pereira Vieira; Maxwell Vaz (PT), Sônia Silva Rodrigues; Paulo Paes (PSDB), Lúcia Maria Neto e Pedro Reis (PSDB) irá homenagear Joanir Viana Jatobá. O vereador George Jardim (sem partido) ainda não apresentou sua indicação.

A vereadora Maria Helena Salles, primeira-secretária no biênio anterior, é a atual presidente da Comissão de Educação, Cultura, Esporte, Lazer, Turismo e Pesca. Marilena Garcia, que coordena a comemoração da data no plenário, é a segunda-secretária da mesa diretora, presidente da Comissão para Revisão da Lei Orgânica Municipal e do Projeto Câmara em Ação.

Marilena ressalta que historiadores ocidentais e orientais reconhecem que o movimento de mulheres foi o acontecimento sociocultural e político que mais marcou a humanidade na segunda metade do século XX .  “É um marco histórico. A partir da década de 60 surge o movimento feminista, que no início foi um pouco radical, como todo movimento que se inicia, mas que conquistou avanços sucessivos na elaboração de políticas públicas para as mulheres”, disse.

A vereadora salienta que não é um movimento contra os homens e sim, uma tentativa de conseguir uma plenitude maior para a cidadania feminina. “Não queremos ser iguais aos homens, pois somos biológica e socialmente diferentes, queremos direitos iguais e respeito”, ressaltou. Apesar das mulheres representarem 51% da população mundial, estatísticas indicam que as estruturas de poder político e econômico ainda são geridas pelos homens. O Brasil possui apenas três governadoras e menos de 10% das prefeituras são ocupadas por mulheres.

“Mesmo com todos os avanços nas esferas de poder, caminhamos pouco. Foram muitas lutas, como pelas licenças maternidade e amamentação, entretanto as mulheres ainda recebem os salários mais baixos. Vamos comemorar essas conquistas, sabendo que temos uma longa história pela frente”, avalia Marilena.

Segundo o IBGE, cerca de 30% das famílias brasileiras são chefiadas por mulheres. A vereadora considera que esta mudança de perfil das famílias deve ser acompanhada por políticas públicas compensatórias, como a de cotas em habitações populares, proposta em projeto de lei da vereadora, sancionado em 2005, que, segundo o executivo, deve ser executado a partir de março.

No dia 8 de março do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica para reivindicarem a redução da carga horária de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Elas, que recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram trancadas no local, onde se principiou um incêndio. Cerca de 130 mulheres morreram queimadas e sufocadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, esse dia foi instituído como o "Dia Internacional da Mulher".

Clique aqui e veja a fala dos vereadores inscritos no grande expediente.

Deixe uma resposta