Câmara debate sistema de bilhetagem eletrônica

O presidente da Macaé Trânsito e Transporte, coronel Lúcio Aracati, pa

O presidente da Macaé Trânsito e Transporte, coronel Lúcio Aracati, participou hoje do grande expediente da sessão ordinária na Câmara Municipal de Macaé. Ele atendeu a uma solicitação por meio de convite informal feita através do primeiro-secretário da Casa, vereador Maxwell Vaz (PT) e pela liderança do governo através dos vereadores Paulo Antunes (sem partido) e Luiz Fernando (sem partido) para fornecer explicações sobre a bilhetagem eletrônica. Aracati respondeu às perguntas dos vereadores inscritos.

Maxwell questionou sobre a viabilidade de um possível plano de comunicação que informe e esclareça as dúvidas dos usuários quanto ao novo sistema, o de bilhetagem eletrônica no transporte coletivo de Macaé. O questionamento do vereador foi apoiado pelos demais vereadores. A vereadora Marilena Garcia (PT) sugeriu ao coronel que sejam implantados postos de informação, em vez de se depender majoritariamente das informações veiculadas pela mídia. A vereadora disse que este é “um grande momento para o governo informar, mas não informar através de mídia”. E acrescentou que a informação quando repassada sofre deturpações: “uma pessoa quando repassa uma informação já repassa de uma outra forma.

A informação quando chega a quatro, cinco pessoas ou  quatro, cinco etapas diferentes; já é outra. A gente codifica a informação de forma diferenciada.”, afirmou. A vereadora deu a sugestão de se utilizar, por exemplo, a rede pública de saúde, agentes comunitários e associações de moradores para o repasse de tais informações sobre o sistema. Aracati prometeu apresentar a idéia ao secretário executivo de Comunicação Social, Rômulo Campos, para avaliação da proposta.

A vereadora Maria Helena Salles (PSDB) falou da importância em disseminar informações, principalmente, através da escola. Em relação ao aumento da passagem de ônibus, Aracati pontuou: “as empresas enviaram solicitações para aumento da tarifa de ônibus mas, por enquanto, esta não é a intenção do prefeito (Riverton Mussi)”, esclareceu. Em caso de perda, o usuário do cartão, deve bloqueá-lo. De acordo com Aracati, o sistema de transporte do município irá atender às pessoas com dificuldade de locomoção: “as empresas tem até 2014 para se adaptarem. O transporte de Macaé oferecerá acesso a todos os cidadãos portadores de alguma deficiência”, informou. O vereador João Sérgio de Lima (PSDB) lembrou-se do passe escolar; em seguida o coronel esclareceu que a Mactran ficará responsável tanto pelo passe social e quanto pelo passe escolar, ambos de competência do município.

Deixe uma resposta