Câmara homenageia Lacerda Agostinho



Por meio da Medalha de Mérito Lacerda Agostinho, a Câmara Municipal de Maca&e

Por meio da Medalha de Mérito Lacerda Agostinho, a Câmara Municipal de Macaé homenageia o ilustre macaense, que promoveu o município e a atuou na sociedade, na política, na educação e no esporte, registrando seu nome na história da cidade. Em entrevista à equipe do Site da Câmara Municipal de Macaé, seu filho, Francisco Agostinho, presidente da Associação Comercial e Industrial de Macaé-Acim, descreve o pai e comenta sobre a premiação.

A medalha de mérito, não é a primeira homenagem da Câmara a Lacerda Agostinho, que faleceu em 06 de agosto de 2004, aos 92 anos. Ele, que foi vereador por 16 anos e por duas vezes presidiu o Legislativo, já havia recebido da casa moções de mérito e de grande mérito. Além disso, o plenário aprovou que a Linha Azul tenha o seu nome. Francisco Agostinho considera as homenagens justas “como reconhecimento do trabalho de toda uma vida pelo município”.

O empresário disse que se sente grato e elogiou o projeto: “O mais importante nem seria, em si, a detenção de uma medalha. Na verdade, é aquilo que fez jus a ela. Ou seja, as ações (das empresas) ao longo do exercício fiscal e de anos de trabalho e o reconhecimento público que irão ter”.  Ele destacou a premiação para três categorias: micro, pequena e média/grande empresa. Francisco Agostinho parabenizou a subcomissão organizadora pela escolha desse critério, que, para ele, é uma forma de dar oportunidades a todas as empresas do município. “As pequenas também têm demonstrado que podem fazer muita coisa em prol de seus funcionários e da própria comunidade macaense”, ressaltou.

Macaé, bem antes de ser conhecida como A Capital do Petróleo, era associada à marca Licor Pesseguete, um dos mais conhecidos do país, produzido pela Indústria Lince, fundada por Lacerda Agostinho. Além de empresário, ele foi: fundador e primeiro presidente da Liga Macaense de Desportos; fundador e presidente por 11 anos do Ypiranga Futebol Clube; membro do conselho vitalício e curador da Fundação Luiz Reid; membro do Lions Clube, Rotary Club e da Maçonaria, onde atingiu o grau máximo, com 59 anos de freqüência ininterrupta.

Lacerda recebeu significantes homenagens, destacando-se o título de cidadania do estado do Rio de Janeiro, pela Alerj; a congratulação da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro e a Medalha de Desenvolvimento Regional, pela Firjam. Ele chegou a recusar um convite do ex-presidente, Amaral Peixoto, para ser interventor da cidade. Foi importante articulador político, com destaque para o episódio de impeachment contra o prefeito Eduardo Serrano (1959 e 1960). Na ocasião, Lacerda renunciou à presidência da Câmara, em um ato conciliador. “Ele sempre foi um mediador. Abriu mão da presidência para mostrar que não havia interesse pessoal em ocupar o cargo de prefeito, com a renúncia do vice e do prefeito. Desta forma, ele conseguiu a renúncia do vice-prefeito, Antônio Lopes, condição imposta por Eduardo Serrano para que renunciasse”, explicou Francisco.

Francisco Agostinho conta que o acelerado crescimento da cidade, especialmente a partir da década de 80, e as novas construções levantadas entre a serra e o mar encantavam seu pai, nascido em Carapebus, quando ainda era distrito de Macaé. O empresário ressalta que Lacerda construiu uma família harmoniosa, deixou muitos amigos e um conselho: “o primeiro compromisso financeiro é com o fornecedor”, lembra. No dia 9 de agosto, às 17h, uma sessão extraordinária na Câmara lançará a campanha da 1a Medalha de Mérito Lacerda Agostinho, instituída pela resolução 1.844/06. As inscrições serão de 13 a 31 de agosto no Site da Câmara (www.cmmacae.rj.gov.br) e a premiação acontecerá em 10 de outubro.

O projeto, de autoria da vereadora Marilena Garcia (PT), tem o objetivo de destacar as empresas que tenham em sua gestão programas de responsabilidade social, que podem abranger desde a geração de empregos até a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. A campanha será aberta com uma palestra sobre os temas: desmistificação do conceito de responsabilidade social e benefícios oferecidos às empresas parceiras em responsabilidade social pelo Município. A partir desse evento, a subcomissão organizadora, formada por representantes do Legislativo, da Acim, da Firjam, do Sebrae, da Universidade Estácio de Sá e do Executivo, através das secretarias de Fazenda, de Indústria e Comércio e de Trabalho e Renda, iniciará a divulgação do projeto. Poderão concorrer empresas instaladas no município no mínimo há um ano, que estejam em dia com suas obrigações fiscais, tributárias e trabalhistas e das quais integrem sócios idôneos. Os inscritos deverão responder a um questionário on line específico por categoria. Todos os inscritos receberão moção de mérito pela participação.

Deixe uma resposta