Câmara pede informações sobre o combate ao Aedes aegypti



Legislativo demonstra preocupação com a proximidade do verão

Um requerimento para obter informações sobre as medidas que estão sendo tomadas pela prefeitura no combate ao Aedes aegypti foi aprovado na sessão desta quarta-feira (30), na Câmara Municipal de Macaé. De autoria do vereador Maxwell Vaz (SDD), a proposta faz menção a uma reportagem do jornal O Globo, sobre o mapa de infestação pelo mosquito no Estado, publicada no dia 25 de novembro de 2016, que coloca Macaé em estado de alerta.

 

Maxwell justificou o pedido alegando que estamos em período de chuvas e de altas temperaturas, o que contribui ainda mais para a infestação do vetor da dengue. “Precisamos de esclarecimentos para dar alguma tranquilidade à população, sobretudo para as crianças e grávidas, que mais sofrem com as doenças transmitidas pelo mosquito”, declarou.

 

Igor Sardinha (PRB) reforçou que dos 92 municípios do Estado do Rio de Janeiro, 19 estão em alerta, incluindo Macaé. Para o parlamentar, tal fato reafirma a necessidade de implementar políticas públicas de combate ao Aedes aegypti, que, além da dengue, atualmente transmite também a Zika e a Chikungunya, que leva ao aparecimento de outros males, como a microcefalia.

 

O vereador ainda lembrou as emendas impositivas que ele fez no ano anterior para a compra de equipamentos para os agentes de endemias e repelentes para serem distribuídos entre esses servidores, grávidas e famílias pobres. “Pergunto se nós, vereadores, teremos que apresentar novamente as mesmas emendas impositivas este ano, já que o governo não atendeu as aprovadas no ano passado”, indagou Igor.

 

Chico Machado (PDT) aproveitou a oportunidade para denunciar o estado de abandono do terreno no Centro da cidade (atrás da rodoviária), que já foi do Legislativo, mas atualmente pertence à Prefeitura de Macaé. “O Executivo precisa fazer uma limpeza no local, que está repleto de focos do mosquito.”

 

O parlamentar ainda solicitou ao presidente da Câmara, Eduardo Cardoso (PPS), que fosse retirada a placa que identifica o espaço como pertencente à Câmara Municipal de Macaé, já que, hoje, abriga o Arquivo Geral, de responsabilidade da Controladoria do município.

 

 

Jornalista: Adriana Corrêa

Deixe uma resposta