Câmara solicita informações sobre utilização do antigo prédio do Sase

Foto:Ivana Gravina

Parlamentares apoiaram o requerimento de Luiz Fernando.

A Câmara Municipal de Macaé aprovou, por unanimidade, nesta terça-feira (7), requerimento do vereador Luiz Fernando Pessanha (PT do B), solicitando informações à Secretaria Municipal de Saúde acerca de previsão de uso para o antigo Hospital do Sase. Localizado na Barra de Macaé, o prédio abandonado é, segundo o autor, utilizado para a prática de atividades ilícitas, colocando em risco a segurança no entorno.

José Queiróz dos Santos Neto (PTC), o Neto Macaé, apoiou a proposição. “É lamentável ver um local que já foi tão útil servir para o consumo de drogas e a prostituição”. Ele disse que o prédio poderia ser destinado a serviços públicos para beneficiar não só o próprio bairro como também outros próximos, como a Fronteira e a Nova Holanda.

Já Maxwell Vaz (SD) lembrou da polêmica sobre a propriedade do imóvel e afirmou: “Pertence à prefeitura”. Luiz Fernando acrescentou que o edifício foi desapropriado para abrigar o Hospital da Mulher, o que acabou não ocorrendo.

Segundo o presidente, Eduardo Cardoso (PPS), a construção está condenada por laudos da Secretaria de Obras. “Na época em que fui secretário da Saúde, fizemos estudos e concluímos que o prédio não teria condições para receber o Hospital da Mulher ou ter outro uso qualquer. A saída, agora, seria demolir e utilizar o terreno para outro fim”, concluiu.

Verbas para a saúde

Durante a sessão, os vereadores também aprovaram requerimentos com o objetivo de fiscalizar o remanejo de verbas para o Hospital São João Batista, autorizado pela Câmara no mês passado. O vereador Nilton César Pereira Moreira (Pros), o Cesinha, ainda solicitou uma resposta sobre boatos de que a instituição encerrará os atendimentos pelo SUS.

De acordo com o líder do governo, Márcio Bittencourt (PMDB), parte da transferência dos recursos já acontecerá nesta semana. Eduardo Cardoso lembrou que, em compromisso firmado com o prefeito, um total de R$ 5 milhões será repassado para a instituição até o final do ano.

Os recursos públicos destinados à Irmandade serão tema de uma audiência pública, pedida pelo vereador Maxwell Vaz, com data a ser confirmada.

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta