Derrubada proposta de remanejar recursos das emendas impositivas

Foto:Ivana Gravina

O projeto teve boa votação mas precisava de maioria absoluta e foi derrubado

A Câmara Municipal de Macaé reuniu-se em sessão extraordinária nesta quinta-feira (27), convocada pelo Executivo. Foi apresentado um projeto para a instituição de taxa de iluminação pública e votado mais um remanejamento de recursos das emendas impositivas dos vereadores. A proposta da taxa deverá ser votada em 2019. A do remanejamento foi derrubada.

O Projeto de Lei (PL) 14/2018 destinava verba de emendas dos vereadores para o Fundo Municipal de Saúde e para a Secretaria de Educação. As propostas dos parlamentares para o orçamento deste ano não haviam sido atendidas.

Nilton Cesar Pereira (PROS), o Cesinha, apoiou o PL. “Sou contra usar o dinheiro para outros objetivos. Mas como não há tempo de o governo atender às nossas propostas nos dois últimos dias úteis do ano, vou votar favoravelmente”.

Também o líder do governo, Júlio César de Barros (MDB), o Julinho do Aeroporto, foi a favor. “Caso esse projeto não seja aprovado, os valores vão entrar no excesso de arrecadação do orçamento de 2019”.


Críticas

Maxwell Vaz (SD) criticou a iniciativa do prefeito Aluízio dos Santos Júnior (sem partido). “Em 2017, o Executivo pediu a mesma coisa, para socorrer a Casa de Caridade – Irmandade São João Batista. Acompanhei o processo e apenas um terço dos valores foram para o hospital”. Marvel Maillet também votou contra. “Apresentei emendas para o bolsa atleta, cursos de qualificação profissional e contraturno escolar com atividades esportivas. Nada foi atendido”.

Luiz Fernando Pessanha (PTC) questionou os investimentos em saúde e educação, considerando que o orçamento de mais de R$ 2 bilhões não resolveu os problemas que, segundo ele, ocorrem nessas áreas. Marcel Silvano (PT) disse que o PL destinava os recursos à merenda escolar. “Logo essa, uma das áreas menos transparentes da administração municipal”.

Já Renata Paes (PSC) protestou pelas propostas que apresentou beneficiando a Região Serrana. “Estava mais do que na hora de o prefeito olhar para a Serra, onde teve votação maciça”. George Jardim (MDB) lamentou pela não realização das melhorias que propôs para a Serra Macaense.

O presidente Eduardo Cardoso (PPS) também criticou o não cumprimento por parte do Executivo do investimento na Casa de Caridade, lembrando que o ex-prefeito Sílvio Lopes prometeu e realizou investimentos no hospital. O PL 14/2018 teve votação favorável: 7 a 6. Mas foi rejeitado porque alterações no orçamento necessitam de nove votos (maioria absoluta) para serem aprovadas.


Renúncia do vice-prefeito

No início da mesma sessão foi lida a carta de renúncia do vice-prefeito Vandré Guimarães. Ele alegou ter intenção de dedicar-se à vida profissional e, principalmente, à família. Com o cargo de vice-prefeito vago, o presidente da Câmara é o primeiro na linha de sucessão da prefeitura.

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support