“Desenvolvimento Sociocultural”: Plano Diretor discute programas de inclusão



Quarta audiência acontecerá nesta quinta (10)

Discutir políticas públicas de combate a todos os tipos de preconceito, além de promover a inclusão social e a diminuição das desigualdades. Este foi o objetivo da terceira audiência pública que trata do Plano Diretor de Macaé, realizada no início da noite da última terça-feira (8). O encontro foi conduzido pelo vereador Luciano Diniz e contou com a participação de Marcel Silvano, ambos do PT.

 

O Poder Executivo foi representado pela secretaria adjunta de Gestão Estratégica e membros de pastas ligadas ao tema, como Cultura, Desenvolvimento Social e Educação. “A cidade vive um momento de transição em todos os aspectos. A revisão do Plano Diretor é algo que precisa nos mobilizar. Andamos pela cidade e verificamos diversas ocupações irregulares, por exemplo. Precisamos rediscutir questões como essa e nos prepararmos para o futuro”, alertou Marcel.

 

Outro ponto bastante debatido foi a educação. Após questionamento do público, foi confirmado que o Plano Diretor está alinhado com o Plano Municipal de Educação, aprovado no ano passado e que engloba desde o ensino básico até o superior, com propostas de consolidação e fortalecimento da Cidade Universitária.

 

Como nas últimas audiências, o gerente do Plano Diretor, Glauro Franco, conduziu a leitura dos textos, acompanhado da secretária adjunta de Gestão Estratégica, Gisele Muniz Moreira dos Santos. Saúde, Direitos Humanos, Segurança Urbana, Esporte e Assistência Social também foram temas abordados.

 

“Fico satisfeito em ver que esta foi a audiência com maior participação do Poder Executivo. Espero que esta representatividade continue para os próximos encontros. Ainda reforço o mesmo convite a todos os cidadãos e representantes da sociedade civil”, disse Luciano Diniz.

 

Nesta quinta (10), a Câmara Municipal realizará o quarto encontro, com o tema “Desenvolvimento Econômico”. Assim como acontece em todas as audiências públicas, os interessados podem participar ativamente dos debates.

 

 

Jornalista: Júnior Barbosa

 

Deixe uma resposta