Falta de infraestrutura é o tema principal da Câmara Itinerante do Barreto

 <span style="font-family: arial, helvetica, sans-serif; font-size: 14px; text-align: justify;">Moradores denuciam que o bairro sofre com a falta de obras básicas de infraestrutura.</span>

O Barreto existe há cerca de 60 anos e acompanhou de perto a expansão da indústria do petróleo na cidade, recebendo obras de grande porte, como o Centro de Convenções e diversas empresas. Mesmo assim, o bairro sofre com a falta de obras básicas de infraestrutura. Este foi o consenso dos moradores que participaram da Câmara Itinerante, na manhã deste sábado (28), por solicitação do vereador Júlio César de Barros (PPL), o Julinho do Aeroporto.
 

“Há uma grande descrença com a política e diversas esferas representativas. Por isso, entendemos a falta de uma participação maior do público, mas precisamos manter a motivação em continuar aproximando o governo da população, buscando melhorias”, defendeu o presidente Eduardo Cardoso (PPS).
 

Marcos Leprince, morador do bairro há anos, foi o primeiro a apresentar reivindicações, enumerando problemas de infraestrutura, como a falta de calçamento da orla da praia. “Participamos de diversos encontros e audiências, mas a realidade é que o Barreto é carente em diversas áreas. Enquanto a prefeitura urbaniza lugares mais recentes, nós sequer temos uma área de lazer”, criticou.
 

De acordo com o representante da Secretaria de Obras, Carlos Bruno, o bairro foi loteado no final da década de 50, com regulamentação defasada. “Loteamentos recentes possuem novas regras, o que não é o caso do Barreto, mas levarei o caso aos responsáveis”, disse. Por sugestão de Eduardo Cardoso, será agendado um encontro com o secretário de Obras, com a finalidade de discutir projetos para a localidade.
 

Outra questão levantada pelo presidente da Associação de Moradores, Jorge Luiz, o Teco, está ligada à fiscalização ambiental. “Antes, o Barreto recebia até turistas que frequentavam a praia e movimentavam o comércio, mas a água está ficando poluída”, denunciou.
 

“Esta comunidade possui atividades esportivas de grande relevância e, como a Fesporte está com nova gerência, sugiro que haja uma reunião para encontrarmos alternativas de novos investimentos, pois o esporte é uma grande ferramenta de inclusão social”, acrescentou Julinho.
 

Segurança, problemas com transporte público e mobilidade urbana também foram assuntos debatidos, incluindo o Plano Cicloviário, com a instalação de ciclovias entre o Parque de Tubos e o Lagomar, assunto explicado por Luciano Diniz (PT). Novas edições da Câmara Itinerante serão confirmadas nos próximos dias.

 

Instalação do Porto

Projeto bastante debatido nos últimos anos, a possível instalação de um porto no bairro também foi questionada pelos moradores, que se manifestaram favoráveis ao projeto. “Eu e Maxwell Vaz (SD) fomos até Brasília há poucos dias para acompanharmos o andamento do processo. De acordo com o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), documentos que estavam pendentes chegarão já na próxima semana, para que o processo continue”, acrescentou Amaro Luiz (PRB).

 
Jornalista: Júnior Barbosa
 

Deixe uma resposta