Horário integral nas escolas foi destaque em audiência



A Educação foi amplamente discutida durante a segunda audiência p&uacu

A Educação foi amplamente discutida durante a segunda audiência pública do Orçamento 2008, no último dia 30, no plenário da Câmara. A princípio, a prefeitura iniciará, no próximo ano, o projeto de horário integral em 60 das 113 escolas planejadas para o município. A sociedade civil organizada e a população presente teve a chance e esclarecer dúvidas e trocar informações com as autoridades presentes.

O presidente da Associação de Moradores da Virgem Santa, Jorge Vieira, reclamou que o sistema de horário integral não será implantado na Escola Municipal Severino Teotônio de Luna e em outras escolas por falta de estrutura. “Seria muito bom se pudesse implantar, porque os pais precisam. Tem crianças que ficam trancadas por 10 a 12 horas, sozinhas em casa, enquanto os pais vão trabalhar”, lamentou. Ele questionou se haverá verba para adequar as escolas que ainda não dispõem de estrutura.

A representante da secretaria de Educação, Gelda Tavares Rodrigues, afirmou que para o primeiro ano em que a lei do novo horário começa a vigorar, o número de 60 escolas é bom. “Estamos indo aos poucos para chegar até as 113 escolas. Tentamos distribuir as escolas contempladas da melhor maneira possível para atender a população”, disse.

Ela afirmou que, para 2008, se for implantar o horário integral na Escola Municipal Severino Teotônio de Luna só será possível, de início, atender a educação infantil. “Por enquanto não conseguiremos implementar o horário integral para as turmas de primeira a quarta série”.

O representante do Fundo Anti-drogas, Hélio Lessa, pontuou que a escola não pode ser uma questão de bairro: “temos que ter transporte adequado para conduzir os estudantes a um bairro mais longe, se for preciso. Escola não é para um ano. É para quatro ou mais”, defendeu.

O professor, Elielson Barros, da Escola de Pescadores, lembrou que manter os estudantes o dia inteiro na escola exige uma estrutura especial para que o sistema possa vingar: “A escola de pescadores funciona em sistema integral desde 2003. Temos enfrentado muitos problemas, também de ordem didática, mas o maior é de estrutura. Minha preocupação é com a necessidade de espaços adequados para a realização de atividades, aulas, oficinas, prática de esportes…porque, do contrário, não passará de um projeto medíocre de horário integral”, afirmou.

Gelda justificou, que por razões de estrutura, é que não se pode iniciar o projeto de uma só vez nas 113 escolas. “Temos que começar bem e depois ampliar”, declarou. E acrescentou: “vamos precisar de ajuda do Adrian”, disse, se referindo ao secretário especial de Infra-Estrutura Urbana, cuja secretaria concentra todas as maiores ações do governo. Esta engloba as secretarias executivas de Obras (Tadeu Campos), Serviços Públicos (Delorme Ramos), Guarda Municipal (Antônio Franco), Transporte e Trânsito (Lúcio Aracati) e de Interior (Carlos Eduardo Jardim). Com a criação destas secretarias executivas, ficou determinado que seriam extintas a Macaé Trânsito e Transporte (Mactran) e a Guarda Municipal, que funcionavam como autarquias.

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support