Indicação propõe criação do Centro Municipal de Equoterapia



Proposta surgiu após boatos de interrupção do programa

Uma indicação de George Jardim (PMDB) foi aprovada nesta terça-feira (21), na Câmara de Macaé, sugerindo ao governo criar o Centro Municipal de Equoterapia. Após leitura pela mesa, no expediente, o autor da proposta foi atendido no pedido que fez para que a matéria fosse votada na mesma sessão e também comentou sobre os boatos de que o programa teria atividades encerradas, depois que houve troca na coordenação.

 

 A equoterapia funciona no parque de exposições da cidade e auxilia no desenvolvimento de pessoas com deficiências. “Foram retirados equipamentos e cavalos. Isso é uma coisa que não pode acontecer, pois o programa é uma questão de solidariedade”, afirmou George.

 

Segundo ele, com a criação de um centro, a equoterapia, na cidade, não ficará mais sujeita a situações pessoais de coordenadores. Jocimar Gomes de Oliveira (PMDB), o Boca, contou sobre seu próprio envolvimento no programa desde 2013, e mencionou o caso de um adulto e uma criança beneficiados pela equoterapia.

 

“Quando soube que os animais estavam sendo retirados, neguei que retirassem aquele que eu doei e autorizei que as atividades prosseguissem também com outro cavalo meu”, disse Boca. “A institucionalização, certamente, garantirá a continuidade do programa, que é de baixo custo, se pensarmos na qualidade que proporciona aos usuários”, apoiou Maxwell Vaz (SD). “Eu também fui procurado por usuários e funcionários do programa e sou favorável à solução desse impasse”, disse Marcel Silvano (PT).

 

Proposições na área cultural, habitacional e de transporte

 

Na sessão, foram ainda aprovadas, entre outras, proposições de diversos vereadores, aprovando licença remunerada para servidoras vítimas de violência, em segunda votação, apoio à manifestação cultural do Boi Pintadinho, providências visando ao funcionamento do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e uma proposta de isenção de taxas cartoriais a moradores transferidos de áreas desapropriadas, além da nomeação de 52 ruas e 10 concessões de títulos de honraria.

 

 

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta