Jardim Franco e adjacências pedem infraestrutura, acesso e lazer



Moradores apresentam reivindicações e pedem melhorias para a região

A falta de infraestrutura de pavimentação e esgoto foi o maior dos problemas apontados pelos moradores do Jardim Franco e adjacências, na sessão da Câmara Itinerante (CI) realizada no bairro, neste sábado (12). A tenda do evento, promovido pela Câmara Municipal de Macaé, foi armada no encontro das ruas Kleber Machado e Laércia Barros de Oliveira, em frente à Associaçao de Moradores. A CI, com cerca de 100 participantes, foi solicitada por Júlio César de Barros (PPL), o Julinho do Aeroporto, e Amaro Luiz (PRB).

 

Na sessão, foram apresentados problemas dos loteamentos Jardim Franco, Franco Plaza, Franco Garden, Jardim Carioca I e Jardim Carioca II. Eliseu Teixeira, morador do Franco Plaza, reclamou: “Não temos água encanada. Temos que pagar caminhões-pipa a R$ 300, ou pegar água de poço próxima ao canal Macaé-Campos que é puro esgoto. As pessoas têm tido problemas de pele e intestinais devido ao consumo de água contaminada”.

 

O representanta da Secretaria de Obras, Carlos Bruno, responsabilizou o proprietário que loteou os terrenos por não ter implantado a infraestrutura. Amaro Luiz questionou. “Por que a prefeitura autorizou a venda e não fiscalizou o proprietário?”. Dilson Jordão, presidente da Associação de Moradores do Jardim Franco, afirmou que a Cedae já está ligando a água, e que é necessário que os moradores vão até o órgão para cadastrar-se.

 

Naquele momento, diversos moradores levantaram a voz, dizendo que não há água no encanamento. O vereador Luciano Diniz (PT) afirmou que, a exemplo do Lagomar, a prefeitura dará um prazo para que a Cedae ligue a água. “Se não for ligada, o prefeito contratará outra empresa para o serviço”, disse ele.

 

Problemas com mobilidade e falta de áreas de lazer

 

As dificuldades de acesso e saída da localidade também foram motivo de reclamações. ”Quem mora aqui perto tem mais facilidade de acesso. Mas quem, como eu, mora na Rua 20, tem que ir até o começo da Linha Azul para sair”. Jordão disse que, mesmo próximo ao local onde se realizou o evento, é problemática a saída e o acesso. “O risco de acidentes é enorme, pois, para não ter que ir até o primeiro retorno, as pessoas fazem bandalha. Inclusive, um motorista, outro dia, foi assaltado, à noite, no retorno”.

 

Os moradores reclamaram também da grande quantidade de mosquitos e falta de áreas de lazer. “Em nenhum desses bairros existe uma praça sequer”, afirmou o presidente da Associação de Moradores do Jardim Carioca II, Marco Aurélio Marins. A pequena Julia Barbosa, de apenas 10 anos, moradora do bairro, reforçou a demanda: “Eu queria pedir que fosse construída uma praça no meu bairro”. Ela complementou ao site da Câmara que seria bom que a praça tivesse um parquinho.

 

Moradores pedem mais divulgação da Câmara Itinerante

 
“Eu lamento que haja apenas oito moradores do meu bairro aqui. A Câmara Itinerante não foi divulgada lá”, reclamou Graciele Euzébio, do Jardim Carioca II, o que foi confirmado pelo presidente da associação. “Tivemos dificuldades para encontrar um local que fosse autorizado. Só achamos este ponto ontem. Como estava tomado pelo mato, ainda tivemos que mandar capinar. Aí a divulgação ficou prejudicada por ter ficado muito em cima da hora. No futuro, poderemos realizar sessões também no Jardim Carioca II”, respondeu o presidente da Casa, Eduardo Cardoso (PPS).
 
 
 
 
 
Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta