Legislativo pede melhorias para as escolas de Macaé



 <span style="font-size:14px;"><span style="font-family:arial,helvetica,sans-serif;">Vereadores debatem problemas estruturais de escolas da cidade e Região serrana</span></span>

 

Na sessão ordinária desta terça-feira (8), foram aprovados diversos requerimentos e indicações solicitando mais infraestrutura para os colégios macaenses. O debate teve início com um requerimento do vereador Maxwell Vaz (SD), que pediu o cronograma das obras da Escola Municipal Olga Benário.

 

O parlamentar informou que a unidade não oferece segurança, nem condições para o exercício da prática pedagógica, gerando cobranças de pais, alunos e educadores. “Faço um alerta ao governo, já que as reclamações são recorrentes e, pela legislação, o município deveria investir no mínimo 25% do seu orçamento, que é um dos maiores do país, em educação”, disse Maxwell.

 

Outro a contribuir para a discussão foi Igor Sardinha (PRB), que lembrou que a escola Olga Benário já foi alvo de inúmeras proposições, além de já ter recebido a visita de alguns vereadores. “Quando estivemos lá, havia um ‘gato’ sustentando a ligação de energia elétrica da escola, que enfrentava ainda sérios problemas no abastecimento de água.”

 

Para Igor, o problema não foi ocasionado pela crise econômica ou pela falta de recursos, mas por uma gestão ineficiente. “O resultado dessa má gestão é o funcionamento da escola, durante todo o ano, sem condições básicas para alunos e professores”, denunciou o parlamentar.

 

Já Marcel Silvano (PT) teve três indicações aprovadas, nas quais pediu reformas para as escolas estaduais municipalizadas Córrego do Ouro e Carolina Curvelo Benjamin – a primeira está localizada no distrito que tem o mesmo nome e, a segunda, no Trapiche. Ele também solicitou mais computadores para a sala de informática da Escola Municipal Maria Augusta de Aguiar Franco, na Bicuda Pequena – também na Região Serrana.

 

Por fim, Manoel Francisco Neto, o Manoel das Malvinas, reivindicou a implantação de um programa de educação básica em tempo integral para a escola Estadual Rachel Reid.

 

 

Jornalista: Adriana Corrêa

Deixe uma resposta