Lei cria Patrulha Maria da Penha em Macaé



Projeto foi aprovado por unanim

A Câmara Municipal de Macaé aprovou, nesta quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, por unanimidade dos vereadores presentes, o Projeto de Lei do Executivo que cria a Patrulha Maria da Penha. A equipe, formada por mulheres e homens, guardas municipais, intervirá diretamente contra agressores que sejam denunciados, indo até os locais onde estejam sendo praticadas violências.

 

O projeto é baseado na Lei Maria da Penha, sancionada em 2006 e que estabelece que todo caso de violência doméstica e intrafamiliar é crime. A patrulha foi planejada com base nas experiências realizadas em Duque de Caxias, Teresópolis e Curitiba. Nilton César Pereira (PROS), o Cesinha, lembrou que a legislação de 2006 contribuiu para reduzir em 10% as agressões contra a mulher no país.

 

“Essa lei é reconhecida pela ONU entre as três mais eficazes do mundo para a proteção da mulher. Esperamos que a prefeitura qualifique seus agentes para o trabalho”, afirmou Marcel Silvano (PT). Ele recordou que as agressões não são apenas físicas e citou a desvantagem das mulheres no mercado de trabalho, mesmo se são mais qualificadas.

 

Maxwell Vaz (SDD) também mencionou outras situações que agridem as mulheres, como dificuldades para fazer mamografia e falta de remédios no município, e atendimentos precários em maternidades nacionalmente. Luiz Fernando (PT do B) lamentou que sejam necessárias essas legislações devido à cultura machista. “Que absurdo, por exemplo, precisarmos, nos metrôs, de vagões exclusivos para mulheres”.

 

Emendas ampliam proteção

 

Paulo Antunes (PMDB) sugeriu a efetivação do Botão do Pânico, legislação de sua autoria, que prevê disponibilização de dispositivo pelo qual mulheres ameaçadas podem denunciar agressões diretamente à polícia. “É preciso lembrar que projeto semelhante ao da Patrulha tramita no Senado, de autoria de Gleisi Hoffman (PT-PR)”, disse José dos Santos Neto (PTC), o Neto Macaé.

 

Antes da votação, foram aprovadas quatro emendas. Uma foi de Júlio César de Barros (PMDB), o Julinho do Aeroporto, determinando que a Patrulha seja em parceria com a Coordenadoria Geral de Políticas para as Mulheres. Outra, de Renata Paes (PSC), estende o serviço para 24 horas. A terceira e a quarta, de Maxwell, ampliam o atendimento para todas as mulheres, não apenas às já protegidas por medidas protetivas judiciais.

 

 

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support