Maxwell Vaz pede tolerância em estacionamento rotativo



Através da indicação 794/2007, promovida pelo vereador, Maxwell Vaz (

Através da indicação 794/2007, promovida pelo vereador, Maxwell Vaz (PT), que pediu destaque para a mesma, o plenário discutiu a tolerância no sistema de estacionamento rotativo municipal, na última sessão ordinária, realizada na quinta, dia 13.

O vereador pediu apoio dos colegas vereadores e do prefeito, Riverton Mussi (PMDB), para que o sistema de estacionamento rotativo seja mais justo. “Muitas pessoas estão sendo multadas porque saem em procura do funcionário responsável pelo rotativo. Algumas vezes chegamos para estacionar, olhamos para um lado e para o outro e não achamos a pessoa para vender o cartão”, disse.

Maxwell explanou que as pessoas querem regularizar o estacionamento, por exemplo, ao voltar do primeiro local onde precisava ir, mas nem sempre conseguem. Portanto, sugeriu que seja adotado o procedimento que já acontece em outros municípios: “ao verificar que o carro está sem o papel de estacionamento, o responsável coloca uma advertência no vidro do carro onde se lê: “o senhor(a) tem 15 minutos de tolerância a partir de agora”, contou.

Passados os 15 minutos, se o motorista não retornar para comprar o talão, aí, sim, o carro será multado. O responsável pelo estacionamento rotativo irá verificar se o dono do veículo retornou ao local.

Outra sugestão é para que se venda talão de estacionar pelo período de uma hora. “Só tem talão de duas horas. A situação atual é ‘ou toma multa ou compra o talão de duas horas’”, pontuou Maxwell. Ele reclamou que, caso o motorista queira parar por uma hora, é obrigado a pagar por duas horas. “Pode vender talão de R$1, para uma hora. Até se arrecada mais; já que o de duas horas custa R$1,50”, avaliou.

O vereador informou, ainda, que o dinheiro arrecadado pelo estacionamento rotativo, feito por uma empresa em convênio com a Mactran, é repassado para instituições filantrópicas. Ele solicitou, também, que o presidente da Mactran, coronel Lúcio Aracati, envie, para a Câmara, a lista das instituições que recebem este percentual, bem como o critério para a escolha das contempladas.

Deixe uma resposta