Metrô de Londres?



O primeiro-secretário da Câmara de Macaé, Maxwell Vaz (PT), e o v

O primeiro-secretário da Câmara de Macaé, Maxwell Vaz (PT), e o vereador Luiz Fernando Pessanha (sem partido) consideraram que a empresa que detém o maior número de linhas de ônibus urbanos em Macaé “armou um cenário” para receber os representantes dos parlamentares do município, no Terminal Central do Sistema Integrado de Transporte-Sit, ontem, de 7h às 8h. A vistoria havia sido divulgada na sessão ordinária de terça-feira, dia 8.

“Me senti no metrô de Londres”, disse Pessanha. A comissão apresentou durante a sessão de ontem um vídeo com registros da ineficiência do sistema.

Da produção de 20 minutos contaram entrevistas com usuários, registros de pichações, depredações, filas e vendedores ambulantes, dentro do terminal, além de reportagem transmitida ontem, pelo telejornal local. Na matéria, os entrevistados se queixaram da ineficiência do sistema e foram apresentadas imagens de diversos ônibus superlotados. Contudo, o vereador constatou que, considerando o relato dos usuários, a presença do Legislativo era esperada no local. “Observamos que houve interesse da empresa em prestar um atendimento especial. Muitos ônibus entrando no terminal porque previam nossa chegada”, destacou.

O vereador notou também que, apesar de muitos entrevistados terem se queixado da falta da presença da Guarda Municipal no terminal – Uma senhora chegou a relatar que havia sido assaltada ali – na manhã de ontem, havia quatro guardas. “Vamos combinar a próxima visita reservadamente para que eles não armem um cenário”, afirmou Vaz que lembrou que o prefeito Riverton Mussi (sem partido) disse que faria nova licitação. Luiz Fernando declarou: “Existe falta de vontade da empresa, que transfere sua responsabilidade para o sistema”. Para ele, ficou claro que foram colocados carros de emergência vindos diretamente da garagem.

Ao sair do terminal, Luiz Fernando foi verificar se os ônibus tinham passado em seus horários regulares em diversos pontos da cidade e constatou que muitos passageiros ainda os aguardavam. “O terminal funciona, basta colocar mais carros. Mas a empresa quer só lucro”, lamentou. Paulo Paes (PSDB) disse que já previa que o anúncio da vistoria ao Terminal Central provocasse uma repentina mudança para melhor no sistema. Ele afirmou que depois que Vaz e Luiz Fernando saíram, a rotina se normalizou. Ele salientou que a fiscalização do terminal é atribuição da Macaé Transito e Transportes-Mactran e os vereadores devem cobrar isso do órgão.

Jorge de Jesus (PRB) discordou da afirmação de Paulo Paes, feita durante a sessão de terça-feira, de que a Câmara é fraca. Ele informou que se encontrava no bairro Imburo, questionando os usuários se houve melhoria após a convocação do presidente da Mactran, Lúcio Aracati, enquanto Vaz e Luiz Fernando vistoriavam o terminal. Os moradores disseram que observaram uma pequena melhora. O vereador considerou que se a empresa tomou medidas para melhorar o sistema naquela manhã, foi por causa da autoridade da Câmara, o que provaria sua força. Pedro Reis (PSDB) elogiou a iniciativa de Vaz e de Luiz Fernando. Ele considerou o projeto Sit falido e disse que o prefeito já teve tempo de apontar alternativas para o problema.

Clique aqui e veja a fala dos vereadores inscritos no grande expediente.

Deixe uma resposta