No Parque Atlântico, Câmara Itinerante é realizada com grande participação popular

 <span style="color: rgb(51, 51, 51); font-family: arial, helvetica, sans-serif; font-size: 14px; text-align: justify;">O ato contou com expressiva participação popular, além da presença de nove parlamentares.</span>

Em mais um ato de aproximação entre os munícipes e o governo, a Câmara de Macaé realizou, na manhã deste sábado (14), nova edição da Câmara Itinerante, no Parque Atlântico, região compreendida entre os bairros Recanto da Paz e a Vila Badejo. O ato contou com expressiva participação popular, além da presença de nove parlamentares, representantes da prefeitura e sociedade civil organizada.
 
Logo no início, o morador José Bonfim Galvão cobrou o aumento de linhas de ônibus para a área e criticou a ausência de paradas no entorno da rodoviária, obrigando os passageiros a descerem no Terminal Central ou em pontos próximos. De acordo com a Mobilidade Urbana, a área impossibilita instalação de paradas, por conta do grande fluxo de veículos.
 
Maxwell Vaz (SD) e Igor Sardinha (PRB) lembraram que a Câmara já discute há anos projetos para a construção de uma nova rodoviária, pauta de indicações e requerimentos no Legislativo. “A cidade cresceu e o espaço já não suporta mais o movimento. Quem paga o preço é o usuário do transporte público”, acrescentou Igor.
 
“Eu tenho a certeza de que este encontro continuará dando frutos, assim como aconteceu em outros bairros. Não temos o poder de executar, mas continuaremos cobrando e lutando pelos interesses da população”, disse Júlio César de Barros (PPL), o Julinho do Aeroporto, autor do requerimento para a realização da Câmara Itinerante no Parque Atlântico.
 
Assim como nas últimas edições, a violência ganhou destaque no debate. Vagner Santos, morador da Vila Badejo, reclamou da falta de policiamento no bairro. “Há 15 dias, minha filha foi assaltada e tenho conhecimento de vários casos de furto. Sinto falta da presença da Polícia Militar, principalmente nos horários de maior movimento. As ruas são escuras e facilitam os roubos”, criticou.
 
Juntos, os representantes das associações dos moradores dos bairros da região ainda cobraram maior participação do Poder Executivo e apresentaram uma carta de reivindicações listando necessidades básicas, como revitalização de ruas, fiscalização e criação de áreas de espaço de lazer. O presidente Eduardo Cardoso (PPS) lembrou que todos os assuntos debatidos são formalizados em ata oficial que, posteriormente, é encaminhada ao prefeito.
 
Enquanto a Câmara Itinerante acontecia, o Procon prestava atendimentos ao público. O encontro foi transmitido, simultaneamente, pela internet. As datas das próximas edições serão divulgadas em breve.
 
 
Educação e Transporte Social Universitário
 
Apesar de não ser atribuição do município, o Ensino Médio recebeu críticas. Algumas mães alertaram para a ausência de diversos professores na Escola Estadual Jornalista Álvaro Bastos e em outras unidades. Juntamente com o secretário de Educação e vereador licenciado, Guto Garcia, os vereadores se comprometeram a buscar uma audiência pública com a Comissão de Educação da Alerj.
 
Sobre o Ensino Superior, Carolina Alfradique, que utiliza o Transporte Social Universitário (TSU), denunciou ameaças de encerramento do programa. Outros casos também foram relatados por Igor, Luciano Diniz (PT) e Marcel Silvano (PT). Com o objetivo de intermediar um encontro entre os universitários e o órgão responsável pelo TSU, os parlamentares farão contato com a prefeitura.
 
 
Bolsa Atleta
 
Poucos sabem, mas Macaé é o berço de campeões nacionais de Muay Thai. Atletas representam a cidade até fora do país, mas correm risco de não participarem do principal campeonato da categoria, que será realizado em Belém-PA, no final do mês, por falta de pagamento do Bolsa Atleta, programa garantido por lei e de autoria de Maxwell Vaz. 
 
O assunto foi levantado pelo vice-presidente da Federação Estadual de Muay Thai, Diego Andrade. Ao lado de alguns atletas, foi pedido apoio das autoridades em busca de uma solução para o caso. De acordo com Maxwell, neste mês, a Fundação Municipal de Esporte (Fesporte) pagou somente a primeira parcela de 2015. 

Jornalista: Júnior Barbosa
 

 

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support