Participação dos representantes da Macprevi no plenário



Depois de um mês do convite feito pelo vereador Luiz Fernando Borba Pessanha para qu

Depois de um mês do convite feito pelo vereador Luiz Fernando Borba Pessanha para que representantes da Macprevi (Macaé Previdência) comparecesse na Câmara Municipal de Macaé o fato se concretizou nesta quarta-feira (07). O diretor administrativo e financeiro da MacPrevi, Júlio César Marques, e o diretor-presidente, Rodrigo Matoso, participaram e responderam algumas questões levantadas em plenário pelos vereadores durante a sessão.

O vereador Luiz Fernando Borba Pessanha começou a questionar os representantes da Macprevi e, logo de início, solicitou a apresentação de taxas e rendimentos das aplicações da Macaé Previdência e também o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP).

“Estou perplexo em constatar que o certificado está vencido desde março de 2004. Fico ainda mais preocupado, porque os representantes da Macprevi compareceram na sessão aqui na Câmara e mesmo sabendo deste fato que ocorre há anos não foi apresentada, até o momento, nenhuma providência para que a questão fosse solucionada”, frisou.

Segundo o diretor administrativo e financeiro da Macprevi, a Compensação Previdenciária tem o valor aproximado de R$ 2 milhões que não está sendo repassado para o instituto.

“Estou no cargo há três meses. Então, afirmo que a Macprevi trabalha de forma transparente e está de portas abertas para responder e esclarecer todas as questões. Não comparecemos antes por desencontros que ocorreram. Peço desculpas e informo que é um prazer enorme participar da sessão aqui no plenário”, completou Rodrigo Matoso.

Luiz Fernando Borba Pessanha mesmo depois de todo debate e explicações no plenário continua mantendo a posição em relação a aplicação realizada pela Macprevi.

“Afirmo tudo o que disse e continuo com minha opinião em relação a Macprevi. Eu confirmo que a forma de aplicação a curto prazo está incorreta. As aplicações devem ser feitas a longo prazo”, afirmou.

O presidente da Câmara Municipal de Macaé, o vereador Eduardo Cardoso, agradeceu a presença dos representantes da Macprevi na casa e informou que se Luiz Fernando Borba Pessanha tiver interesse em prolongar a questão pode ser realizada a CPI.

“Iremos analisar a questão com mais tempo e ser for para o bem de todos poderemos solicitar uma CPI. Assim, não vai ser eu acho ou não acho, teremos certeza do que de fato ocorre. Prefiro agir cirurgicamente. Cada um deve usar as armas que tem e o vereador tem as armas legais para termos a CPI caso seja necessário”, finalizou.

Deixe uma resposta