Pedro Reis denuncia Cidadão Macaense e é apoiado



O vereador, Pedro Reis (PSDB), levantou denúncia contra o site Cidadão Macae

O vereador, Pedro Reis (PSDB), levantou denúncia contra o site Cidadão Macaense: “Noventa mil pessoas já tiveram acesso a ele. Então, merece uma resposta da Secretaria de Governo, pois lá tem uma prova cabal: um contracheque (superfaturado)”, denunciou. O site, www.cidadaomacaense.com, apresenta uma matéria que foi lançada no dia 8 de novembro com um contra-cheque que exibe valores exorbitantes e com um trecho aqui reproduzido: “Colaborador nos envia contra-cheque milionário de Assessor de Gabinete do Prefeito Riverton, que multiplica ilegalmente seu salário colocando valores absurdos de diárias. Segundo a fonte, a facilidade é tão grande que basta alguns assessores mais "íntimos" ligar para o recursos humanos e dizer: "Coloca só mais nove e quinhentos esse mês que o Prefeito liberou!".

O presidente da Câmara, Eduardo Cardoso (PPS), por sua vez, declarou: “a Câmara também recebe muitas críticas desse site. Mas não tem assinatura. Para mim, o que não é assinado não tem o menor valor. O covarde sequer assina. É indigno. Se tivesse um responsável, poderíamos até entrar no Ministério Público, mas sem assinatura vamos entrar contra quem? O vereador pediu, também explicações à presidente do PSDB Macaé, vereadora Maria Helena de Siqueira Salles, “porque os vereadores do PSDB não são criticados no site; os outros são todos ladrões”, disse.

A vereadora e presidente do PSDB Macaé, Maria Helena Salles (PSDB), que assumiu o posto ocupado nos últimos quatro anos por Glauco Lopes, negou que haja envolvimento do PSDB no site Cidadão Macaense: “O PSDB comunga com as denúncias desta Casa”, afirmou.

Já o líder do governo na Câmara, Paulo Antunes (PMDB), afirmou: “tenho absoluta certeza de que não tem dedo de Pedro Reis, Paulo Paes ou Maria Helena Salles, nesse site. Esse covarde não é homem, porque homem que é homem assina. Isso, sim, é democracia (assinar as críticas)”, disse.

E acrescentou: “estou levantando o dossiê desse moleque. Ele não é macaense. É forasteiro, comeu dessa terra, é funcionário da prefeitura e não trabalha. Vou pedir o ponto dele”, afirmou.

O vereador, João Sérgio de Lima (PMDB), disse que é preciso chegar à origem do site para entender como os proprietários já agiam de má-fé ao criá-lo: “o dono pediu para hospedar o site numa empresa americana. Mas vai se chegar ao responsável. Já, quanto à questão do contra-cheque, eu também vi e é uma falsificação grotesca. Isto faz parte do jogo político”, disse.

O primeiro secretário da Câmara, Maxwell Vaz (PT), comparou o site Cidadão Macaense aos sites de pedofilia, nazistas e racistas. “Manter o site tem um custo. Já estão chegando à origem desse dinheiro. Parece que há um crime federal por aí: o dinheiro para a manutenção viria da venda de drogas ilícitas”, informou.

O vice-líder do governo na Câmara, Luiz Fernando Pessanha (PMDB), também disse:  “o contra-cheque que aparece na página do site Cidadão Macaense é claramente falsificado”.

Nota: Vereadores se reuniram hoje, após o término da sessão ordinária, na sala da presidência da Câmara, junto ao prefeito Riverton Mussi (PMDB) e alguns de seus secretários, para discutir as incoerências apresentadas pelo Orçamento Municipal 2008, como foi apresentado na respectiva audiência pública, do último dia 13.

Clique aqui e veja a fala dos vereadores inscritos no grande expediente e na explicação pessoal.

Deixe uma resposta