Planos da Funemac e do COMDAE são apresentados em plenário



O presidente da Funemac, Joelson Tavares, e a equipe do programa COMDAE – representa

O presidente da Funemac, Joelson Tavares, e a equipe do programa COMDAE – representado pela professora, Leda Moraes, e pelo cientista contábil, Alexandre da Silva Lima, compareceram ao plenário da Câmara na manhã de hoje, onde foi realizada uma sessão extraordinária, a convite do vereador e primeiro secretário da Câmara, Maxwell Vaz (PT), em que os convidados apresentaram os trabalhos que vem sendo realizados e os planos para aprimoramento em suas respectivas áreas de competência.

Em entrevista exclusiva, Joelson e Leda, pontuaram os maiores desafios a serem enfrentados pela área educacional. Joelson é médico, professor, acadêmico e macaense. Atualmente, preside a Funemac, que nasceu em 1992, a partir de dois convênios firmados com a UFF – Universidade Federal Fluminense. “O maior desafio, no momento, é conseguirmos implantar um ensino público de nível superior em Macaé. Esse objetivo tem se mostrado como um braço da UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Para a construção do prédio, é preciso que a relação do município com o Estado se estreite”, observou.

De acordo com Joelson, há diversos passos a serem seguidos para atingir esse objetivo, como a contratação de professores e que eles façam pesquisas no município. Bem como caberia, à prefeitura, ceder o espaço para a construção da universidade pública.

Outro desafio levantado por Joelson foi a implantação de outros cursos que ofereçam uma resposta tecnológica exigida pelo município e, também, de cursos na área de Ciências Humanas: “para que sejam pensados os caminhos que levaram à atual condição do município”, destacou.

Sobre as prioridades atuais da Funemac, Joelson enfatizou: “é preciso efetivar os convênios com a UFRJ, os cursos de Química, Biologia e Farmácia; e o curso de Direito com a UFF, bem como instalar os escritórios jurídicos no município”, afirmou.

Vencidas essas etapas, os esforços serão concentrados para a implantação do curso de Medicina, em 2009. “Mas para que o curso de Medicina possa começar é preciso que haja toda uma estrutura de laboratórios, equipamentos e parcerias com hospitais, por exemplo”, citou.

Joelson enfatizou que o desenvolvimento da educação no município deve ser um clamor de toda a sociedade: “para que continue em constante evolução independente de quem estiver no governo”, lembrou. Ele destacou, além do engajamento da sociedade, a importância do apoio da Câmara: “a Câmara é a voz do povo, a representante legal da população”, afirmou.

COMDAE:

O COMDAE é um programa da Prefeitura que, ao pé da letra, quer dizer: Comissão Multiprofissional de Dinamização e de Apoio Operacional em Prol do Educando. Foi apresentado ao prefeito no dia 2 de maio de 2007 e de acordo com sua representante, Leda Moraes, pretende atingir um Título de Utilidade Pública, através do apoio à crianças e adolescentes que estudam na rede municipal. “O maior sonho do COMDAE é ter apoio de todas as secretarias do município”, disse. E, ainda, que até o final de 2008, possa atender toda a rede municipal de ensino.

Atualmente, o COMDAE atua em cinco escolas do setor vinho, que inclui o Ciep Nova Holanda e a Escola de Pescadores. “Nossa missão é dar valor aos valores que estão se perdendo, como o respeito ao professor e ao ser humano”, afirmou Leda. Segundo Alexandre, o programa visa combater fatores de risco social como a pobreza e suas mazelas e o alcolismo, por exemplo. Assim, desenvolve-se fatores de proteção social, como desenvolvimento da auto-estima, através de ações positivas pelo esporte, dança e cultura; com ênfase nas aptidões positivas de cada aluno.

No caso de alunos com baixo rendimento devido aos lares desfeitos, o diretor da escola pode intervir e a equipe visita a casa do estudante. A proposta é acima de tudo garantir os direitos da Cidadania às crianças e adolescentes que vivem em situação de risco social.

“Buscamos o voluntariado e todo tipo de apoio e parceria que nos ajude a estar presente nas escolas municipais. Atualmente, estamos carentes de material esportivo, transporte e computadores próprios”, ressaltou Leda. Lembrando que o programa conta com o apoio da Petrobras e da Schain.

Deixe uma resposta