Presidente da Mactran comparece ao plenário



O presidente da Macaé Transito e Transporte-Mactran, Lúcio Aracati, atendeu

O presidente da Macaé Transito e Transporte-Mactran, Lúcio Aracati, atendeu ontem a convocação do vereador Júlio César de Barros (sem partido) e participou da sessão ordinária. Aracati respondeu a algumas perguntas dos vereadores, admitiu que o Sistema Integrado de Transporte-SIT possui falhas e disse que a abertura de nova licitação para contratacão de mais uma empresa de transporte coletivo seria inviável no momento, em virtude de questões legais, e se comprometeu a realizar melhorias imediatas no setor.
Aracati disse que os técnicos da Mactran estudam modelos de sistema de transporte de outros municípios e buscam ajustes para os problemas atuais. Contudo, ele afirmou que o órgão, por ter que cumprir a lei de criação do sistema e a de licitação, tem suas ações limitadas. Na oportunidade, o presidente da Mactran esclareceu que partiu dele a idéia de uma alteração no horário de comércios, indústrias, serviços e escolas públicas municipais, a fim de minimizar o impacto nos horários de pico. Desta forma, eximiu o vereador Luiz Fernando Pessanha (sem partido) que havia sido acusado pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de apresentar uma proposição sobre essa alternativa. Aracati considera essa uma proposta válida, que deverá ser discutida pela sociedade e pelo legislativo. Ele informou ainda que a instalação de equipamento para bilhetagem eletrônica e a aquisição de 15 ônibus, provavelmente até o próximo dia 10, e mais 10 ônibus até o final do próximo mês, contribuirão para a melhoria do sistema, do qual integram? 106 ônibus da Rápido Macaense, 21 da Líder e 43 vans alimentadoras. O SIT tem o desafio de atender o aumento de cerca de cinco mil novos usuários por ano.
Na sessão que durou cerca de 4 horas e esteve lotada até às 22h, compareceram, além dos cidadãos interessados em soluções para as deficiências do setor, atletas amadores e dirigentes do Macaé Hóquei Club, que se manifestaram com cartazes contra a falta de incentivo do Executivo à categoria. Eles apresentaram uma carta aos parlamentares solicitando ajuda financeira, por meio de assinatura em “livro de ouro”.
Os vereadores criticaram a falta de incentivo ao esporte amador como instrumento de inclusão social e discutiram sobre a construção de uma casa de custódia em decorrência da Delegacia Legal. Além disso, criticaram a Fundação Municipal Hospitalar por não buscar arrecadar fundos junto à iniciativa privada e, ainda, a falta de políticas para efetivar convênios intermunicipais na área da saúde.
O projeto de lei 004007, de Pedro Reis (PSDB), aprovado por unanimidade, que trata da obrigatoriedade de divulgação no município do conteúdo da carta e da cartilha ilustrada dos direitos dos usuários da saúde foi elogiado pela vereadora Marilena Garcia (PT) que considera o acesso à informação um instrumento para o exercício da cidadania.
Entre as proposições apresentadas, teve destaque a 347/07, de Maxwell Vaz (PT), que indica a parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e universidades que possuam cursos em ciências biológicas e áreas a fim, para que alunos e professores participem efetivamente da elaboração  do projeto do plano de manejo do Arquipélago de Santana, como proposto na audiência pública da última quinta-feira, dia 19.

Clique aqui e veja a fala dos vereadores durante a apresentação do Presidente da Mactran.

Deixe uma resposta