Reajuste dos servidores é debatido em audiência



 Ato foi realizado na noite de segunda (20)

Cerca de 50 pessoas estavam na plateia por ocasião da audiência pública que debateu o reajuste dos servidores da prefeitura, na noite desta segunda-feira (20). Realizado na Câmara Municipal de Macaé, o evento foi presidido pelo vereador Igor Sardinha (PRB). “Lamentamos a ausência de representantes do governo para discutir o reajuste, mesmo após não ter sido apresentado nenhum índice para discutir com a categoria”, afirmou.

 

Maxwell Vaz (SD) criticou o fato de, segundo ele, o Executivo não ter atendido a requerimento aprovado em plenário para que fosse apresentada uma proposta, tornando necessária a realização da audiência. “Mesmo assim, acredito que os servidores foram intimidados e constrangidos a não comparecerem hoje aqui”. E Amaro Luís (PSB) acrescentou: “Não era nem para estarmos aqui. O dissídio é uma negociação que deve acontecer naturalmente”.

 

Servidores que compuseram a mesa criticaram fortemente a administração. Leandro Neves, presidente da Comissão de Assistentes de Administração e Logística, mencionou o artigo 156 do Regimento Interno da Câmara que, de acordo com ele, criminaliza a não informação de um índice por parte da administração.

 

“É lamentável também o não comparecimento de um representante do nosso sindicato”, criticou Marco Antônio da Silva Gomes, representante do movimento Direito para Todos. Ele ainda mencionou que servidores têm tido perdas no vale-alimentação, no adicional noturno e com a não efetivação do enquadramento. Vivaldo Dórea, do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, Previdência e Seguridade Social do Rio de Janeiro (Sindsprev), reforçou as críticas ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Macaé (Sindservi): “Esse sindicato não nos representa”.

 

Nas considerações finais, Igor acenou à possibilidade de recorrer ao Ministério Público contra a prefeitura. “Outro caminho é encaminhar ao plenário proposição no sentido de estabelecer um prazo para que a administração apresente um índice, agora vinculado ao IPCA”, concluiu.

 

 

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta