Reforma no Executivo e mudanças no Legislativo



O Executivo começa a implementar hoje o projeto de reforma administrativa. As alter

O Executivo começa a implementar hoje o projeto de reforma administrativa. As alterações na gestão municipal, além de consolidar a entrada do Partido dos Trabalhadores-PT na administração pública de Macaé, acarretarão mudanças na composição do Legislativo. O vereador Chico Machado (PPS) é o titular da nova Secretaria Municipal de Agropecuária. Portanto, o seu primeiro suplente, José Carlos Crespo (PTN) aguarda ser convocado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cardoso (PPS), e pretende reeditar algumas proposições após o período de recesso.

Júlio César de Barros (sem partido) foi indicado como secretário da Infância e Juventude, caso ele venha abrir mão da vereança, João Sérgio e Lima (PSDB), retomará sua suplência, como no biênio anterior. A participação do PT na gestão municipal se dará por meio de nomes indicados pelo diretório municipal, do qual integram o primeiro-secretário da Câmara, Maxwell Vaz, e a segunda-secretária e líder da bancada do partido, Marilena Garcia. Entretanto, o escolhido pelos petistas como titular da Secretaria Especial de Desenvolvimento Sustentável, Juvêncio Papes, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-OAB/Macaé, não é filiado ao partido. Estão subordinados a essa secretaria especial: a Secretaria Executiva de Inovação, Ciências e Tecnologia, pasta de Carlos Augusto Garcia; o Instituto Macaé de Metrologia e Tecnologia e a Fundação Educacional de Macaé-Funemac, presidida por Joelson Rodrigues. Também indicados pelo PT, como o secretário executivo de Meio Ambiente, Henrique Emery, presidente do diretório municipal do partido e a presidente da Fundação Macaé de Cultura, Conceição de Maria, sindicalista.

José Carlos Crespo se declara aliado do prefeito Riverton Mussi (*PMDB) e ressalta que o apoio de seu partido, o Trabalhista Nacional (PTN) foi fundamental para a eleição de Riverton, contribuindo com mais de 8.500 votos. Ele elogiou o projeto da reforma administrativa, entretanto lamentou o pouco tempo de governo para implementá-lo, 18 meses. “Dará bons resultados porque foram escolhidas pessoas de reconhecida capacidade para os cargos designados”, considera. O vereador atribui acertos do Governo Riverton à gestão do presidente da Câmara, Eduardo Cardoso: “Com muita habilidade vem conduzindo aquela casa, que hoje trabalha eficazmente para contribuir com o governo. Ele conseguiu uma coisa que, nesses 14 anos de política, não tinha visto: fazer com que a oposição – do PT e outros partidos – fosse construtiva”, elogiou.

Chico Machado é o atual presidente da Comissão Permanente de Justiça e Redação, a qual Zezinho Crespo, que é advogado, já presidiu durante seu primeiro mandato de 1993 a 1997. Na opinião do suplente, um titular dessa comissão deveria assumir essa função. Contudo, ele disse que acatará a decisão da presidência, caso seja indicado. Entre as proposições que pretende reeditar está uma de maio de 1998, que dispõe de denúncia do convênio entre município e Cedae. Ele revelou que, na ocasião, chegou a receber ameaças telefônicas por causa dessa matéria. O vereador esclareceu que o projeto não implica em tirar o emprego de nenhum funcionário da companhia estadual, mas sim de transferir o custo e a administração do abastecimento de água para a Prefeitura, em virtude do precário serviço prestado pela Cedae. “O convênio já foi denunciado. Mas por uma composição política, a Cedae continua prestando esse serviço e cobrando taxa de água. Acredito que seja para que o rompimento seja feito sem muitos traumas para as duas partes. Mas continuo nesse firme propósito”, salientou Zezinho Crespo que disse, ainda, que defenderá especialmente as causas do meio ambiente. Ele finalizou: “É da minha personalidade não transigir com as minhas convicções”.

*filiação não formalizada.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta