Solicitações ao 32º BPM e assaltos na Serra geram debate sobre segurança



Vereadores aprovaram quatro requerimentos ligados à segurança pública

 

A coincidência de quatro requerimentos apresentados por Luciano Diniz (PMDB) com um protesto de Renata Paes (PSC) provocou um debate sobre segurança nesta terça-feira (25), na Câmara Municipal de Macaé. Renata protestou contra a falta de segurança na Região Serrana. “Será preciso que matem uma família dentro de sua residência para que se faça alguma coisa?”, perguntou ela ao informar sobre o assalto de 11 casas em quatro dias, de quinta-feira a domingo (23).

 

Os requerimentos de Luciano foram para envio de correspondência ao 32º BPM solicitando aumento de policiamento na Vila Badejo (Parque Atlântico), na rua principal do bairro Jardim Franco e no Engenho da Praia, além da melhoria do atendimento no Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO), aumento do efetivo e funcionamento 24 horas no DPO de Córrego do Ouro. Os vereadores presentes aprovaram por unanimidade as proposições.

 

“Diante da omissão, os problemas se agravam. Esta Casa realizou recentemente uma audiência pública para tratar da segurança e nem a prefeitura, nem o 32º Batalhão se fizeram representar”, afirmou Igor Sardinha (PRB). “Já apresentei requerimento para a volta do DPO em Glicério e incremento da unidade de Córrego do Ouro. Sugiro que o valor que a Câmara tem devolvido à prefeitura seja destinado à segurança pública”, discursou Nilton Cesar (PROS).

 

Maxwell Vaz (SD) informou sobre a destinação de recursos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) para investimentos em segurança. “Consultei a Alerj e o Tribunal de Contas e fiquei sabendo de um fundo da Assembleia ao qual se pode recorrer para esse fim. Vamos estudar a possibilidade desta Casa fazer o mesmo”, disse ele.

 

“O problema é que não há políticas públicas para tirar jovens e até adultos das garras afiadas da bandidagem. Macaé não aproveitou o período em que houve pacificação em diversas áreas para ocupá-las socialmente e prevenir a criminalidade”, concluiu Amaro Luiz (PSB).

 

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

 

Deixe uma resposta