Tribuna Cidadã: servidora cobra direitos e critica reforma administrativa



 <span style="font-family:arial,helvetica,sans-serif;"><span style="font-size:14px;">Ato acontece na última quarta de cada mês</span></span>

Inscrita para participar da Tribuna Cidadã desta quarta-feira (30), a ex-procuradora Ana Beatriz Cooper utilizou o plenário da Câmara Municipal de Macaé para apresentar denúncias em relação ao processo que gerou sua aposentadoria por invalidez, além de se posicionar contra a proposta de reforma administrativa da prefeitura, que tramita na Casa. O ato foi conduzido por Igor Sardinha (PRB).

 

Bia Cooper, como é conhecida, ingressou na prefeitura em 2005, atuando na Procuradoria e no setor de Recursos Humanos, antes de entrar em licença médica. “Coincidentemente, hoje saiu a publicação da minha aposentadoria definitiva, contra a minha vontade. Sempre busquei a excelência no meu trabalho, independente de qual fosse o governo. Fui perseguida de todas as formas possíveis”, disse.

 

Durante o processo, a servidora, agora pertencente ao quadro de inativos, desenvolveu uma doença crônica e fez tratamento para enfrentar uma depressão. “Eu tenho laudos médicos que comprovam a injustiça que fizeram comigo. Poderia ser bem pior, mas eu conheço os meus direitos. Este é um alerta para que outros servidores não passem pelas mesmas injustiças que eu estou enfrentando. Agradeço à Câmara por abrir um espaço como este”, acrescentou.

 

Maxwell Vaz (SDD), Luciano Diniz (PT) e o presidente Eduardo Cardoso (PPS) direcionaram elogios à servidora. Os parlamentares citaram casos de quando ocuparam cargos no Executivo e atuaram em parceria com a Procuradoria. “Sempre fomos atendidos com profissionalismo e competência”, frisou Maxwell.

 

Para participar da Tribuna Cidadã, que acontece na última quarta-feira de cada mês, às 9h, é necessário inscrever-se previamente na Secretaria da Câmara. O projeto abre espaço para o cidadão utilizar o plenário e apresentar reivindicações que sejam de interesse coletivo. O evento é transmitido ao vivo pelo site da Câmara e registrado em ata oficial que, posteriormente, é disponibilizada para consulta popular.

 

Reforma administrativa

 

Após expor o seu caso, Bia também criticou o projeto de reforma administrativa. “Façam as contas e vejam que a economia será pífia. A prefeitura não precisa de uma reforma para organizar as finanças”, frisou.

 

Marcel Silvano (PT) e Igor também discursaram sobre o tema. “Falta diálogo com a população e os servidores que serão diretamente afetados. O município precisa se readequar, mas não impondo algo que pode gerar incertezas”, complementou o petista.

 

Nilton Cesar (Pros), o Cesinha, defendeu a aprovação da reforma, assim como Eduardo Cardoso. “Sou aposentado, atuei durante toda a minha carreira no setor público e defendo o servidor. Não encontrei nenhum ponto que prejudique a categoria em todo o projeto. É uma reforma necessária para adequar a folha de pagamento do governo”, concluiu.

 

 

Jornalista: Júnior Barbosa

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support