UFRJ apresenta Carta das Águas de Macaé



Estudo apresentou impactos ambientais da cidade

Os professores Rodrigo Fonseca e Maurício Mussi, do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Socioambiental de Macaé (Nupem/UFRJ), apresentaram a “Carta das Águas” do município, na sessão da Câmara nesta quarta-feira (29). O documento reúne estudos sobre o estado dos recursos hídricos da bacia do Rio Macaé. A apresentação ocorreu no Grande Expediente.

 

Rodrigo, que também é diretor do núcleo, ressaltou a relação da universidade com o município. “São 350 professores, em 11 cursos de graduação e um corpo de funcionários que totalizam uma folha de pagamento de R$ 4 milhões. O Nupem, com pesquisas que vão de complexas teorias aos problemas sociais da urbanização, é uma experiência de conhecimento aplicado vista como modelo dentro da universidade”.

 

Já Maurício recordou a crise hídrica da região Sudeste em 2013, que atingiu, principalmente, o estado de São Paulo e que motivou o ex-diretor do Nupem, Francisco Esteves, a dar início à elaboração da Carta das Águas de Macaé. Publicados em forma de revista, os estudos ainda contêm orientações para políticas públicas.

 

“Na Severina, área onde ocorre a captação de água para a cidade, o Rio Macaé fica, boa parte do ano, com a profundidade de um palmo”, relatou o professor. Segundo ele, apesar disso, atualmente, o quadro para abastecimento da cidade é positivo, devido à grande área florestada que é fundamental para as chuvas.

 

Ação humana

 

O impacto da ação humana, porém, pode reverter esse quadro, no que se refere, por exemplo, à qualidade da água. “Projeções de que o município teria 250 mil habitantes eram feitas para 2025 e, no entanto, já atingimos esse número”, acrescentou Maurício. O professor apresentou pesquisas dando conta, por exemplo, do impacto da produção petrolífera sobre a biodiversidade. “Foram detectadas grandes concentrações de derivados do petróleo no organismo dos peixes”.

 

O documento aponta, como principais fatores influentes sobre a disponibilidade de água potável, a poluição, o lixo, o esgoto, a agricultura e a pecuária. Entre as propostas de políticas de governança, são indicados reflorestamento, novas áreas de conservação, legislações de preservação e estímulo à criação de conselhos gestores da água, envolvendo, sempre, os agricultores.

 

“Temos grande esperança na parceria com o Nupem na implementação dessa sustentabilidade e da sua fiscalização”, disse o presidente da Casa, Eduardo Cardoso (PPS). Marcel Silvano (PT), autor do convite aos professores, ressaltou que o tema se relaciona com a Campanha da Fraternidade de 2016. “Não podemos deixar de aproveitar essas informações para implementar políticas de prevenção”, disse Igor Sardinha (PRB).

 

Maxwell Vaz (SD), Manoel Francisco (PPS), o Manoelzinho das Malvinas, e os peemedebistas Guto Garcia, Luciano Diniz e George Jardim também discursaram sobre problemas e soluções para a questão da água no município, além de elogiarem o trabalho do Nupem.

 

 

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

 

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support