Vereadores cobram posição sobre obras no Novo Cavaleiros



 <span style="font-family:arial,helvetica,sans-serif;"><span style="font-size:14px;">Dois requerimentos foram aprovados por unanimidade</span></span>

Por unanimidade, a Câmara Municipal de Macaé aprovou, na sessão desta terça-feira (22), dois requerimentos que solicitam ao Executivo informações sobre obras no Novo Cavaleiros, de autoria de Marcel Silvano (PT). A primeira votação foi sobre a reforma da Praça 29 de Julho e a segunda para obter detalhes da reurbanização nas Ruas Saturno e Netuno.

 

Durante as discussões, Marcel voltou a cobrar uma posição da prefeitura, principalmente no caso da praça. “Apresentei uma emenda impositiva, destinando verba para o serviço, que é simples. Mesmo assim, o governo não deu nenhuma posição. A reforma do alambrado da quadra já seria um avanço e, como moro no bairro a minha vida toda, sou cobrado constantemente”, disse.

 

Em seguida, o petista falou sobre as duas ruas que são localizadas no início do Novo Cavaleiros, mas que estão com asfalto incompleto. “Não sabemos se é intenção da prefeitura deixar como está, mas tanto na Saturno quanto na Netuno não há sinalização ou redutores de velocidade. São pequenos trechos que já poderiam estar asfaltados, contemplando moradores e motoristas que trafegam pelo local”, afirmou.

 

Emendas impositivas

 

A fala do petista desencadeou novas críticas ao governo. Maxwell Vaz (SDD), Amaro Luiz (PSB), Manoel Francisco (PPS), o Manoelzinho das Malvinas, e Chico Machado (PDT) falaram sobre o governo não realizar as emendas impositivas ao orçamento que foram aprovadas na Câmara. “O vereador destina uma verba assegurada pela lei, mas a prefeitura não cumpre”, frisou Maxwell.

 

“Todas as minhas emendas foram voltadas para o desenvolvimento de programas de combate à obesidade mórbida e nada saiu do papel. Não tem como o governo justificar”, criticou Chico Machado. “Nestes quatro anos, me senti desrespeitado pelo governo. Estamos aqui cumprindo o nosso papel, mas o prefeito não dá qualquer informação”, completou Amaro.

 

 

 

 

Jornalista: Júnior Barbosa

Deixe uma resposta