Vereadores propõem ações conjuntas

O vereador Jorge de Jesus (PRB), na sessão plenária de ontem, voltou a suger

O vereador Jorge de Jesus (PRB), na sessão plenária de ontem, voltou a sugerir a união e a articulação entre os vereadores e propôs uma ação conjunta a favor da diminuição da insegurança pública. Ele convidou os demais parlamentares para cobrarem do comandante do 32o Batalhão da Polícia Militar, Rosano Augusto Souza, medidas emergenciais, especialmente, aumento do policiamento noturno. Júlio César de Barros (sem partido) também considerou que um grupo de vereadores deveria fazer uma vistoria no Instituto Médico Legal-IML, com o objetivo de apresentar as deficiências do serviço ao Executivo. Ele propôs a formação de uma Comissão Parlamentar Especial-CPE.

Jorge de Jesus considerou que desde a audiência com o Secretário de Estado de Segurança Pública, Mariano Beltrame, em 5 de março, poucas foram as alterações no grave quadro de violência de Macaé. Ele, que na ocasião requisitou viaturas para as polícias do município, reclamou que os policiais ainda contam apenas com veículos sucateados, “a ponto de ver um policial militar empurrando um carro de polícia na Av. Airton Senna”, criticou. O vereador reclamou do alto risco de assaltos e estupros no entorno do Terminal Central do Sistema Integrado de Transporte, e ainda, alertou para os inúmeros roubos a residências e de veículos nas proximidades da Av. Airton Sena. “Precisamos nos unir e cobrar”, pediu o vereador.

Como informado durante a sessão de terça-feira passada, dia 22, Julinho do Aeroporto apresentou, ontem, a indicação 466/07 solicitando que o Governo Municipal firme um convênio com o Governo do Estado, com o objetivo de melhorar o atendimento do IML.
 “O serviço é precário demais”, exclamou o vereador. Ele propôs a criação de uma comissão parlamentar para vistoriar o local e encaminhar os problemas ao prefeito Riverton Mussi (sem partido). Julinho relatou que algumas salas não funcionam por falta de equipamento. Mesmo considerando que a responsabilidade pelo serviço seja Governo do Estado, ele reivindica que o poder público municipal tome medidas urgentes. O vereador esclareceu que suas críticas têm o intuito de colaborar com a administração e declarou: “Gostaria muito que o prefeito Riverton se reelegesse”. O presidente da Câmara, Eduardo Cardoso (PPS), esclareceu que, segundo informado pelo Executivo, o convênio com o IML foi rompido pelo Governo do Estado.

Na sessão de ontem, a reivindicação de Luiz Fernando Pessanha (sem partido) de que a ambulância do bairro Malvinas permaneça em atendimento exclusivo à comunidade durante 24h por dia, também teve destaque. O vereador considera que aquela população está sendo marginalizada e injustiçada. Ele ameaçou que, caso o pacto sobre essa demanda, feito com o prefeito Riverton Mussi, não fosse cumprido, incentivaria manifestações da comunidade na Câmara e na Secretaria de Saúde. Luis Fernando relatou casos como o de um senhor, que sofreu um enfarto, e de duas parturientes. Eles não puderam contar com o serviço. Uma das parturientes teve que ir a pé ao Hospital Público Municipal-HPM. 

Integraram o expediente: o projeto de decreto Legislativo 011/07, de Marilena Garcia (PT), que institui a transmissão das sessões plenárias por meio da Internet; o projeto de resolução do Legislativo 005/07, de autoria da Mesa Diretora, que dispõe da implementação do programa de modernização administrativa da Câmara, e a Lei 2925/07, que cria,  no calendário do município, o dia do atleta e do guia do atleta portador de deficiência. A Comissão Especial de Transporte, presidida por Maxwell Vaz (PT), (portaria 012/06), encaminhou relatório ao presidente da Câmara sobre as tarifas do transporte coletivo urbano e do pedágio da BR-101. Também teve destaque a indicação 427/07, apresentadas por Marilena Garcia (PT), de que seja feito, junto a Macaé Trânsito e Transporte-Mactran, a fiscalização e emplacamento de bicicletas.

Clique aqui e veja as falas dos vereadores inscritos no grande expediente.

Deixe uma resposta