Vereadores propõem restrição ao subsídio do transporte público



 <span style="font-family: arial, helvetica, sans-serif; font-size: 14px; text-align: justify;">Apenas o parlamentar Maxwell Vaz votou contra o requerimento e Luiz Fernando se absteve da votação.</span>

Um requerimento do vereador Júlio César de Barros (PMDB), o Julinho do Aeroporto, trouxe à tona, mais uma vez, a discussão sobre o subsídio pago à empresa SIT pelo governo municipal. O líder do governo propôs a criação de um cartão cidadão, de modo que a passagem a R$ 1 fique restrita aos moradores da cidade que comprovem baixa renda. O requerimento foi aprovado na sessão desta terça-feira (21), na Câmara Municipal de Macaé. Apenas o parlamentar Maxwell Vaz (SDD) votou contra o requerimento e Luiz Fernando Peçanha (PTdo B) se absteve da votação.
 

De acordo com o autor do projeto, tal medida tiraria do governo o ônus de financiar parte da passagem de moradores de outros municípios que transitam por Macaé, além de cidadãos que possuem condições de pagar o valor integral de R$ 3,16. Atualmente, todos os usuários do transporte público pagam R$ 1 e a prefeitura subsidia R$ 2,16, referentes ao restante do valor da passagem. “Apresentei este requerimento em 2013 e estou reapresentando agora. A ideia é beneficiar apenas quem de fato precisa da passagem a R$ 1”, disse Julinho.
 

Segundo Nilton César Moreira (PROS), o Cesinha, se o requerimento for atendido pelo Executivo, poderá gerar uma economia de aproximadamente R$ 1 milhão por repasse mensal aos cofres públicos. “E esse dinheiro poderá ser aplicado em saúde, educação e outras áreas prioritárias da cidade”.
 

Maxwell também contribuiu para o debate e informou que, hoje, a prefeitura deve R$ 30 milhões à empresa concessionária do transporte público, a SIT, por ter assumido esse subsídio. “O valor pago é baseado no número de passageiros informado pela SIT, mas não há qualquer comprovação ou controle sobre esses dados”. Apesar disso, ele defendeu que o prefeito mantenha a promessa de campanha que o reelegeu e continue com a passagem a R$ 1 estendida a todos os usuários.
 

Já Marcel Silvano (PT) chamou a atenção para o fato da proposta já estar prevista no aditivo do contrato que prorrogou a concessão do transporte público para a SIT até 2025. “A prorrogação aconteceu de forma pouco transparente, na véspera da eleição. Por isso fiz um pedido de abertura de CPI para investigar o que está por trás desse monopólio”. Para o vereador, é preciso abrir as contas do transporte público e exigir controle e comprovação dos números informados pela SIT, assim como dos valores pagos pela administração pública.

 

Jornalista: Adriana Corrêa

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support