Vereadores reivindicam abatedouro municipal

A criação de um abatedouro municipal é uma antiga reivindicaç&

A criação de um abatedouro municipal é uma antiga reivindicação do Legislativo de Macaé e, em especial, dos vereadores representantes da zona rural do município. No mês anterior, Paulo Paes (PSDB) encaminhou um ofício ao secretário Estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Christino Áureo (PMN) solicitando a instalação do matadouro. A formalização do requerimento do vereador, por meio de correspondência da Câmara Municipal, ocorreu a pedido do secretário, em um dos dois encontros para tratar dessa questão.  Paes considera que o momento político é propício ao atendimento dessa demanda.

Chico Machado, atual secretário municipal de Agropecuária, apresentou em 2 de março, a Indicação 072/07, de construção de um matadouro municipal, para reforçar os apelos de George Jardim (*PMDB) e Paulo Paes, autor da emenda ao orçamento municipal indicativa de recurso para esse fim. Chico Machado, que foi presidente da Fundação Agropecuária de abastecimento de Pesca de Macaé-Agrape, afirmou que houve muita dificuldade de articulação nos dois primeiros anos do Governo Riverton, em virtude da oposição partidária ao governo estadual anterior, de Rosinha Garotinho (PMDB). Essas divergências políticas vinham desde a gestão anterior, de Silvio Lopes (PSDB).

Em decorrência dos desacordos entre Município e Estado, mesmo o prefeito Silvio Lopes tendo adquirido uma área para esse fim, o matadouro não foi implantado. “Defendo essa matéria desde quando entrei nessa casa e vejo a dificuldade para que seja criado o matadouro municipal. Agora, vendo os acertos e acomodações entre Município e Estado, fiz uma proposta de convênio ao secretário de Estado para atendimento dessa demanda. Em breve nos encontraremos para ver o andamento dessa questão”, disse Paulo Paes.

O abatedouro municipal viria atender também os municípios de Conceição de Macabu, Quissamã, Rio das Ostras e Carapebus, que, como Macaé, são produtores de carne da região que levam seu gado para ser abatido em Valença ou em Cantagalo. Além do benefício econômico para o setor, o matadouro geraria maior segurança da certificação de qualidade e procedência da carne pela vigilância Sanitária.

Além do abatedouro municipal, os vereadores da Região Serrana defendem, ainda, a desapropriação de uma área de 10 mil m2, na localidade de Boa Alegria, para que seja utilizada como espaço de festividade e lazer. Essa indicação de George Jardim foi defendida, durante a sessão de 29 de maio, por Paulo Paes. O local, freqüentado pela comunidade, é encontro dos integrantes de uma cavalgada anual. Paes, que esteve com o prefeito para se informar sobre processo, certificou-se que, em breve, a desapropriação será formalizada.

*filiação não formalizada.

Deixe uma resposta