Vereadores voltam a cobrar mais policiamento para a Região Serrana



 

Proposições foram aprovadas por unanimidade

 
Acompanhando colegas que têm cobrado mais policiamento para bairros da cidade, a vereadora Renata Paes (PSC) fez o mesmo para a Região Serrana, nesta quarta-feira (20), na Câmara Municipal de Macaé. Dois requerimentos dela foram aprovados nesse sentido e serão encaminhados ao governo do Estado e ao 32º Batalhão da Polícia Militar, respectivamente, tendo em vista o grande aumento de assaltos nas estradas e residências.
 

“Não sabemos o que de mais grave precisa acontecer nos nossos distritos para que seja tomada uma atitude. E não é a primeira vez que chamamos a atenção para esse problema. Da Bicuda até o Sana, não temos policiamento. A região cresceu e essa situação só tem piorado com o aumento do número de assaltos”, protestou.

 

“Tivemos há pouco tempo, aqui na Câmara, a posse do Conselho Comunitário de Segurança Pública, e cobramos do Secretário de Segurança e outras autoridades da área. Eles nos disseram que encaminhariam as demandas. Mas nada aconteceu”, disse Maxwell Vaz (SD).

 

Igor Sardinha (PRB) lembrou do requerimento que fez na sessão anterior, para a Vila Badejo, e do comentário do presidente Eduardo Cardoso (PPS), na ocasião, de que dificilmente a proposição seria atendida pelo Estado. “No entanto, não devemos desistir e, sim, continuar oficiando, reclamando, denunciando”, insistiu Igor.

 

Amaro Luiz (PRB) defendeu que a classe política de Macaé precisa se unir para reivindicar mais segurança para a cidade. Os três vereadores de oposição fizeram críticas ao governo, como a de que o prefeito não teria, segundo eles, lutado para manter as unidades do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) na Serra.

 

Já Jorge Luiz de Ameida (PROS), o Teco Comunidade, reforçou apoio aos pedidos, mas sustentou que o apenas o aumento do efetivo policial não resolve a questão. “É o mesmo que enxugar gelo se as comunidades não têm um centro esportivo e atividades voltadas para as crianças, evitando que elas caiam na criminalidade”, exemplificou.

 

Manilhas e bombas para o Barreto

 

Teco apresentou, ainda, uma indicação, aprovada unanimemente, requerendo instalação de bombas e troca de manilhas no Barreto, para escoamento da água. “Principalmente, nas ruas B e C, quando chove forte, acontecem inundações que invadem as casas e as pessoas perdem seus bens. Temos que ter como escoar a água. As obras no Barramares ficaram bonitas, mais isso não adianta para a população”. A denominação “Barramares” para parte do Barreto também foi criticada pelo vereador: “Estão querendo dividir, mas nosso bairro é um só”, concluiu.

 

 

 

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta