Vídeo na internet: parlamentares defendem criança



 <span style="font-size:14px;"><span style="font-family:arial,helvetica,sans-serif;">Parlamentares&nbsp;<span style="text-align: justify;">criticaram “a condenação” da criança nas redes sociais.</span></span></span>

O vídeo de um menino de 7 anos derrubando e atirando objetos no chão, na secretaria de uma escola, divulgado na internet na semana anterior, foi debatido nesta terça-feira (3) na Câmara Municipal de Macaé. O caso ocorreu na Escola Municipal Professor Paulo Freire, no Lagomar. Diferentes registros revelam que as imagens ultrapassam 5 milhões de visualizações. Marcel Silvano (PT) criticou “a condenação” da criança nas redes sociais.

“Lamentamos também as dificuldades existentes para o apoio de psicólogos e assistentes sociais no sentido de acompanhar os alunos, não só nas escolas mas também em suas casas”, afirmou. Citando o educador Paulo Freire, que dá nome ao colégio, disse que “não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra e no diálogo. É esse o caminho para transformar a realidade, as pessoas e o mundo”.
 

“Precisamos saber como as imagens vazaram, por meio da sindicância aberta pela Secretaria de Educação. Mas o mais importante é trabalhar para que a escola volte a ser um espaço de construção da cidadania”. Ele disse ainda que esse caminho se dará pela maior oferta de assistentes sociais e psicólogos na rede escolar pública, pelo cumprimento do Plano Municipal de Educação e por meio emendas impositivas ao orçamento.
 

Maxwell Vaz (SD) também comentou o vídeo. “Era como se a criança estivesse sendo motivada a continuar com aquele comportamento”. Segundo o vereador, quando havia qualquer tentativa de conter o menino, ele era “submisso e dócil”, não oferecendo resistência. “O que essa criança precisa é de cuidado, e não de toda essa banalização que houve na internet”, concluiu o parlamentar.
 

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support