Zezinho Crespo indica curso de Salvatagem para 600 trabalhadores

Pensando na segurança dos trabalhadores macaenses, o vereador José Carlos Cr

Pensando na segurança dos trabalhadores macaenses, o vereador José Carlos Crespo (PTN) fez uma Indicação para que o prefeito Riverton Mussi (PMDB) abra licitação para contratar uma empresa especializada em curso de salvatagem no município. O objetivo é capacitar cerca de 600 trabalhadores, tendo em vista que o curso é caro e requer uma empresa de confiança para ministrá-lo. 

O valor varia de R$1,3 mil a R$1,6 mil por aluno. “Um trabalhador desempregado não tem condições de custear as aulas e garantir este certificado”, disse o vereador.

Por outro lado, Zezinho Crespo acredita que essa providência iria neutralizar o escuso procedimento de pessoas que estão oferecendo o certificado de conclusão do curso de salvatagem, sem que o trabalhador tenha, de fato, participado das aulas, em troca de prometer voto para pré-candidatos a vereador.

A denúncia feita por Zezinho Crespo apresenta duas armadilhas perigosas: poder econômico e ausência de escrúpulo político. “Creio que essa compra de certificados em troca de votos é uma ameaça. Fica claro o uso do poder econômico tendo em vista as eleições municipais que se aproximam”, afirmou. Outro agravante diz respeito ao fato de que os trabalhadores não estariam realmente capacitados para preservarem a integridade física deles próprios e menos ainda dos demais que trabalham nas plataformas.

O autor da Indicação lembrou, ainda, de um acidente que aconteceu nos anos 80, em que todos os responsáveis pela segurança na plataforma só tinham o certificado, mas não haviam participado do curso. “Inclusive, na ocasião, morreu um trabalhador que havia oferecido os certificados à equipe”, contou.

Zezinho Crespo afirma que o presidente de uma associação de moradores de Macaé e um pré-candidato a vereador estão associados e realizando este tipo de troca: “Isto está acontecendo de verdade, mas não vou citar os nomes porque eu estaria entrando em uma briga jurídica”, declarou.

“O curso de salvatagem é essencial para garantir a segurança e o mergulho nas plataformas, bem como a preservação das condições básicas que mantêm a segurança dos trabalhadores em casos de salvamento e nas atividades de rotina”, justificou o vereador.

A indicação 630/2007 foi aprovada recentemente, em primeira e segunda votação. “Tendo em vista que muitos trabalhadores não são admitidos nas empresas por lhes faltar o curso de salvatagem,  assim o município estará utilizando mais instrumentos no combate ao desemprego por falta de especialização”, argumentou o autor.

Clique aqui e veja a fala dos vereadores inscritos no grande expediente.

 

Deixe uma resposta