Câmara debate 14º salário para servidores da saúde

Foto:Tiago Ferreira

Reginaldo diz que nas UTIs trabalhadores vivem “clima de guerra”

A Indicação 1.380/2021, de Reginaldo do Hospital (Podemos), propondo ao governo pagar 14º salário a funcionários públicos da saúde que atuam na frente de combate à Covid-19, gerou debate sobre os vencimentos dos servidores. A redução de carga horária e de salário, sugerida pelo governo federal, também entrou na discussão desta terça-feira (4), na Câmara de Macaé.

“Eles estão colocando a vida em risco. Seria um valor, quem sabe, para uma viagem, uma higiene mental para descansarem do clima de guerra que se vive numa UTI”, defendeu o autor, que teve a indicação aprovada por unanimidade. Iza Vicente (Rede) apoiou e acrescentou: “Aproveito que estamos no mês do trabalhador para lembrar do reajuste dos servidores municipais, mesmo neste difícil momento orçamentário”.

Edson Chiquini (PSD) recordou que há sete anos a prefeitura não concede reajuste aos trabalhadores. “A redução salarial seria uma covardia que cometeríamos, obrigados pelo governo federal, ainda mais com os da saúde que arriscam suas vidas e dos familiares”. Segundo o presidente Cesinha (Pros), “seria um retrocesso”.

Outras indicações

Também obteve aprovação a de número 1703/2021, de Rafael Amorim (PDT), solicitando revisão do horário de fechamento, às 17h, de estabelecimentos comerciais, para evitar aglomerações no transporte público e em terminais.

O vereador teve ainda aprovadas propostas ao governo para: envio de resultados dos testes de Covid para o Nupem, visando análises dos números da doença e planejamento de campanhas sanitárias; informação, nas rádios, sobre sintomas do coronavírus e procedimentos em caso de contágio; e retomada do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), a fim de que PMs auxiliem nas barreiras, em horas de folga.

Regime de urgência e supressão de prazos

No início da sessão, os parlamentares aprovaram regime de urgência para o Projeto de Lei Complementar (PLC) 003/2021, do Executivo, que trata da Mais Valia, para desburocratizar o processo de regulamentação de construções inacabadas.

O projeto para ampliar grupos prioritários na vacinação foi outro a receber regime de urgência. Assinado por Luís Matos (Republicanos), Alan Mansur (Cidadania), Guto Garcia (PDT), Professor Michel (Patriota), Iza e Cesinha, o PL teve até mesmo os prazos regimentais totalmente suprimidos. “Temos pressa em vacinar esses setores”, disse o presidente. A proposta prevê a inclusão dos profissionais da educação, frentistas, atendentes de farmácia, caixas de supermercado, garis e motoristas do transporte público, entre outros grupos.

Jornalista: Marcello Riella Benites

Deixe uma resposta


Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support