Câmara volta a cobrar a regulamentação dos agentes de saúde

Foto:Ivana Gravina

Welberth Rezende reforçou que a legislação também estabelece aumento do piso salarial.

Com o respaldo da nova legislação federal, a Câmara dos Vereadores de Macaé voltou a solicitar que o Executivo encaminhe um projeto de lei para regulamentar a atuação dos Agentes Comunitários de Saúde (ACSs) e dos Agentes de Combate às Endemias (ACEs). O Requerimento 618/2018, assinado por Welberth Rezende (PPS), foi discutido na sessão desta terça-feira (28), sendo aprovado por unanimidade.

Além de unificar as diretrizes de atuação dos profissionais e assegurar direitos trabalhistas, as novas regras também estabelecem um novo piso salarial, saindo dos atuais R$ 1.014 para R$ 1.250, em 2019, e a mudança de nível de formação, passando do fundamental para o ensino médio.

“O ganho é gradativo e deve chegar a R$ 1.550 em dois anos para que, então, os aumentos sigam os reajustes aplicados aos demais servidores. Este requerimento é um alerta, pois o repasse virá do governo federal já com o valor de 2019 e a prefeitura precisa adequar a situação”, lembrou Welberth.

O parlamentar também reforçou os pedidos para que todos os ACSs e os ACEs recebam o adicional de insalubridade por conta dos riscos que a atividade exige. Além dessa valorização dos servidores, Maxwell Vaz (SD) lembrou que a saúde básica deve ser tratada com prioridade. Assim como pensa o presidente Eduardo Cardoso (PPS). “É uma categoria que presta grandes serviços para a sociedade”.

Marcel Silvano (PT) discursou em defesa do Sistema Único de Saúde (SUS). “Precisamos pensar de forma coletiva. Os agentes de saúde chegam onde outros não vão. Sabemos que o país está em uma crise, mas a crise da saúde é ainda maior”, alertou.

Defesa pelas melhorias nas condições de trabalho

Presidente da Comissão de Saúde, Márcio Bittencourt (MDB) lembrou que o legislativo está fiscalizando os postos e unidades de atendimento, com diversos problemas já identificados. “Depois de verificar a situação estrutural, encaminharemos um relatório ao prefeito com as necessidades dos agentes. Os servidores que atuam atenção básica estão trabalhando sem os equipamentos de segurança, por exemplo”, disse.

Jornalista: Júnior Barbosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support