CCJ vai elaborar proposta para regular as mudanças na previdência dos servidores de Macaé



 <span style="font-family: arial, helvetica, sans-serif; font-size: 14px;">Sindiserv pediu à CCJ que estude um modo de incluir também os servidores no processo de tomada de decisão.</span>

A Comissão Parlamentar de Constituição, Justiça, Redação e Garantias Fundamentais (CCJ) da Câmara Municipal de Macaé se reuniu, nesta quinta-feira (1º), para avaliar o Projeto de Lei 11/2015, de autoria do Poder Executivo. A proposta do prefeito Aluízio Santos Júnior (PMDB) é regulamentar que as alterações na previdência dos servidores municipais sejam feitas por meio de decreto do Executivo.
 

A alteração ao Projeto de Lei Complementar 204/2012, apresentada pelo prefeito, ainda propõe ampliar o número de integrantes do comitê que participa das decisões sobre a previdência dos servidores efetivos municipais e tornar a indicação dos seus membros privativa do Executivo.
 

Na ocasião, os vereadores Chico Machado (presidente da CCJ) e Maxwell Vaz (relator da CCJ) ouviram os representantes do Sindicato dos Servidores Públicos de Macaé (Sindiserv) e do Instituto de Previdência Social do Município de Macaé (MacaePrev), que se manifestaram contrários à proposta do prefeito, uma vez que o comitê não teria representatividade dos servidores e das demais instituições envolvidas.
 

Atualmente, o comitê possui três membros, indicados pelo Executivo, Legislativo e MacaePrev – um representante de cada. De acordo com o PL 11/2015, o número de integrantes passaria para seis, mas todos eles seriam indicados exclusivamente pelo prefeito. “Isso fere o princípio da paridade, exigido pela portaria 440 do Ministério da Previdência”, ponderou o diretor financeiro da MacaePrev, José Eduardo Guinâncio.
 

Já a presidente do Sindiserv, Rose Mary Gomes, pediu à CCJ que estude uma alternativa ao PL 11/2015, de modo que os servidores também sejam incluídos nos processos de tomada de decisão. “Hoje, os servidores não têm representação no comitê e tampouco terão, caso a proposta do prefeito seja aprovada”, argumentou.
 

Para o presidente da CCJ, essa é uma questão séria e precisa ser analisada com atenção. “Estamos discutindo o futuro de aproximadamente 15 mil servidores do município, que sentirão os reflexos dessas mudanças daqui a 15 ou 20 anos”, enfatizou Chico.
 

Segundo Maxwell Vaz, a CCJ vai elaborar um projeto substitutivo ao PL 11/2015 e convidar a liderança do governo, o procurador geral do município, um representante do Sindserv e da MacaePrev para apresentar a nova proposta. “A ideia é corrigir as arbitrariedades e cumprir, integralmente, as exigências do Ministério da Previdência e da Lei de Responsabilidade Fiscal, de modo a conciliar os interesses de todos os envolvidos”, destacou o relator.

&nbsp;

Jornalista: Adriana Corrêa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support