Macaé terá Conselho Municipal de Políticas para a Igualdade Racial



 <span style="font-family: arial, helvetica, sans-serif; font-size: 14px;">O Projeto de Lei 26/2014 é uma iniciativa do Executivo e foi aprovado&nbsp;</span><span style="font-family: arial, helvetica, sans-serif; font-size: 14px;">na sessão ordinária desta terça-feira (9).</span>

A Câmara de Vereadores aprovou, na sessão ordinária desta terça-feira (9), a criação de um Conselho Municipal de Políticas para a Igualdade Racial. O Projeto de Lei 26/2014 é uma iniciativa do Executivo e foi aprovado por unanimidade entre os parlamentares presentes.
 

Segundo o vereador Júlio César de Barros (PPL), a criação desse conselho é fruto de um requerimento seu, apresentado no início da gestão do prefeito Aluízio dos Santos Jr. (PV). “Temos uma lei federal que torna obrigatório o ensino da história afro-brasileira e indígena nas escolas, mas  que até hoje não é cumprida. É preciso sair do discurso e cumprir as leis vigentes.”

&nbsp;

O parlamentar refere-se à Lei 10.639/03, alterada pela Lei 11.645/08, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e indígena em todas as escolas, públicas e particulares, do ensino fundamental até o ensino médio.
 

Para o vereador Marcel Silvano (PT), a criação de conselhos é fundamental para a formalização de convênios, projetos e recebimentos de verbas federais. “Precisamos dar à sociedade a possibilidade de participar da construção das políticas públicas. O Conselho Municipal de Juventude também tem esse papel, por isso esperamos que o governo retire o veto à criação desse conselho, tão importante quanto o da Igualdade Racial.”
 

O parlamentar Igor Sardinha (PT) reforçou o papel dos conselhos como mecanismos para a participação popular na construção de políticas públicas que atendam melhor aos anseios da sociedade. No entanto, ele frisou a importância de acompanhar a maneira como o governo vem tratando a questão, muitas vezes impedindo o protagonismo de alguns segmentos da sociedade.
 

“O Conselho de Juventude foi aprovado por este plenário e vetado pelo Executivo. O Conselho Municipal de Transporte, aprovado há um ano e meio, ainda aguarda a sua implementação pelo atual prefeito”, relatou Igor Sardinha.
 

Sobre o veto à criação do Conselho de Juventude, o líder do governo na Câmara, Júlio César de Barros, informou que a Procuradoria do Município entende que a proposta de criação de conselhos por meio de projeto de lei é competência exclusiva do Executivo e, por isso, a proposição foi vetada. “Mas o prefeito não é contra a criação desse ou de qualquer outro conselho, ele apenas deveria ter sido solicitado por meio de requerimento”, ressaltou.
 

Contudo, Marcel Silvano (PT) esclareceu que a criação de conselhos pelo Legislativo está prevista na Lei Orgânica Municipal, garantindo ao vereador a prerrogativa de propor um projeto de lei, com essa finalidade, quando o Executivo assim não o faz.
 

Jornalista: Adriana Corrêa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support