Pandemia: Vereadores cobram implantação de auxílio para o comércio

Foto:Tiago Ferreira

Iza e Thales lembraram que proposta está sancionada desde 2020

Ainda na gestão passada, a Câmara de Macaé aprovou a criação de linha de crédito especial para o comércio, um dos setores mais afetados pela pandemia. Quase um ano depois, poucos negócios foram contemplados e, por isso, Iza Vicente (Rede) e Thales Coutinho (Podemos) defendem que o governo retome o programa de forma concreta. O pedido aconteceu na sessão desta quarta-feira (24), com requerimento aprovado por unanimidade.

“A lei destinou R$ 10 milhões para esta finalidade, mas quase nenhum comerciante teve acesso. Esperamos que o poder Executivo coloque em prática o que não foi feito na gestão passada. É muito importante ter esse socorro, pois muitos estão falindo. Medidas de restrição precisam ser acompanhadas de políticas públicas”, defendeu Iza.

Para Thales, o governo deve priorizar esforços na aquisição de vacinas contra a Covid-19, além de auxílios para quem está com a renda comprometida. “A gente entende todas as necessidades de Macaé, mas qual deve ser o nosso foco? Os comerciantes estão demitindo e fechando as portas. Faço esse apelo porque o momento é de sobrevivência para a população e para a nossa economia.”

Luciano Diniz (Cidadania) fez coro às falas dos vereadores. “A lei veio com grande expectativa, mas a insatisfação é grande porque somente quatro pessoas foram atendidas. A categoria acabou enganada e entendo que o prefeito deve analisar o que é possível dentro do orçamento”, acrescentou.

Edson Chiquini (PSD) e Paulo Paes (DEM) elogiaram a iniciativa. Já Reginaldo do Hospital (Podemos) voltou a defender o retorno do Restaurante Popular, como forma de atender desempregados.

Auxílio local

Durante a sessão, Iza e Thales também oficializaram o Executivo sobre a necessidade de um auxílio emergencial com recursos próprios. Eles defendem o modelo que é adotado em outras cidades e que tem o objetivo de socorrer a população mais vulnerável. A aprovação do requerimento novamente foi unânime.

Turismo com restrições

O presidente Cesinha (Pros), com Tico Jardim (Pros), apresentou pedido para que a rede hoteleira da Região Serrana continue recebendo turistas de outras cidades. “Precisamos pensar nesses empresários que fizeram investimentos e que não terão como pagar fornecedores e funcionários se estiverem fechados”, considerou Cesinha.

Tico explicou que uma das alternativas para controlar o fluxo de pessoas é com a liberação da entrada mediante apresentação do comprovante de reserva, o voucher.

Agricultura

Os parlamentares ainda apoiaram o requerimento de George Jardim (PSDB), que sugere ao governo voltar a adquirir alimentos do programa Agricultura Familiar. As compras para a merenda foram suspensas desde a paralisação das aulas presenciais.

“Nossa ideia é preparar cestas e entregá-las às famílias dos alunos. E ainda poderíamos usar o transporte escolar, gerando renda para mais essa categoria, que está sem trabalho e muito prejudicada”.

Projetos do Executivo

Por unanimidade, a Câmara também aprovou duas propostas vindas da prefeitura. A primeira concede anistia de multa e isenção de juros para os cidadãos que não tiverem efetuado o pagamento do IPTU de 2020. Já a segunda estabelece o mesmo benefício a quem atrasou parcelas do Programa de Refinanciamento Municipal (Refim). Ambas buscam aliviar encargos dos cidadãos que foram prejudicados economicamente pela Covid-19.

Jornalista: Equipe de comunicação


Libras
Acessibilidade com Libras

VLibras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Macaé pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras.

Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support