Câmara defende volta do Proeis



Requerimento foi assinado pelos 17 vereadores

Para fortalecer as políticas de segurança pública, a Câmara Municipal de Macaé aprovou o Requerimento 310/2017, que pede a volta do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis). A votação aconteceu na sessão desta terça-feira (7) e Marcel Silvano (PT), autor da proposta, obteve apoio dos demais 16 vereadores que também assinaram o documento.

 

O programa é formado por meio de parceria entre o Estado e os municípios, que disponibilizam recursos para pagamento de policiais que trabalham além dos plantões estabelecidos, aumentando o efetivo nas ruas. “Este requerimento é fruto dos debates que surgiram quando esta Casa votou o pagamento do décimo terceiro salário para os policiais do 32º Batalhão da Polícia Militar. Agradeço a todos os vereadores que se posicionaram a favor da iniciativa”, disse Marcel.

 

De acordo com o petista, o Proeis está suspenso na cidade desde 2013. “O valor que foi pago pela prefeitura mantém o programa por, pelo menos, três anos. Desta forma, o governo estaria realmente tratando a segurança pública com seriedade”, acrescentou.

 

Maxwell Vaz (SDD) e Luiz Fernando (PT do B) também discursaram e questionaram a lei enviada pelo prefeito. Já Márcio Bittencourt (PMDB) defendeu a apresentação de outro pedido para que a prefeitura também pague o décimo terceiro dos policiais em licença médica. Os recentes casos de violência no Espírito Santo ainda foram lembrados por Paulo Antunes (PMDB) para reforçar a defesa do governo.

 

“A prevenção foi fundamental para a tranquilidade de Macaé. O carnaval aconteceu sem nenhum incidente grave e a população pôde aproveitar as festividades na rua. Também acredito que o número de policiais na região é muito pequeno. Sugiro que haja uma pesquisa para identificarmos quais cidades continuam com o Proeis e se os resultados são positivos. Ter essas respostas é fundamental para a defesa deste requerimento”, concluiu o presidente Eduardo Cardoso (PPS).

 

 

Jornalista: Júnior Barbosa

Deixe uma resposta